Da Redação JM Notícia

Senador Bispo Guaracy 

O senador da República, Bispo Guaracy Silveira (PSD -TO), condenou na manhã desta segunda-feira (05), o conteúdo de questões do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), aplicado neste domingo, que contém “linguagem secreta” utilizada por travestis e gays.

Na avaliação de Linguagens, uma questão pedia que os candidatos “decodificassem” o que era dito: “Nhai, amapô! Não faça a loka e pague meu acué, deixe de equê se não eu puxo teu picumã! Entendeu as palavras desta frase? Se sim, é porque você manja alguma coisa de pajubá, o ‘dialeto secreto’ dos gays e travestis”.

Para o Senador Guaracy Silveira, estas questões aplicadas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), é um absurdo e fora do contexto: “Isso é um absurdo! bando de loucos, perderam a noção”, disparou o Senador em entrevista ao JM Notícia.

Ao JM Notícia, o Senador afirmou ser contrários a essa doutrinação imposta pelo MEC: “Por que não ensinam os dialetos dos indígenas de nossa nação”.

Marisa Lobo comenta

VEJA TAMBÉM
Vereador critica implantação de ambulatório específico para público LGBT

Em seu Instagram,  a psicóloga Marisa Lobo comentou a questão da prova mostrando que o governo de Jair Bolsonaro deverá indicar um bom profissional para a área de Educação, a fim de impedir que estes assuntos sejam trabalhados nas escolas.

Marisa Lobo destaca: “Precisamos de alguém que tenha conhecimento, estratégico e coragem para mudar, enfrentar esses abusos. Precisamos desconstruir essa ideologia de gênero na Educação. É urgente”.

“Enem 2018 teve até dialeto gay? Isso é relevante? Socorro!!! Se Bolsomaro não colocar alguém que entenda muito dessa desconstrução da identidade, e tenha uma visão crítica sobre essa tal diversidade sexual e de gênero (binário e não binário) , se essa tal pessoa, não souber sobre raizes históricas, lógica, e sobre o que a ciência e o mundo afirma sobre essa ‘falácia’, não irá mudar nossa Educação. Precisamos de alguém que tenha conhecimento, estratégico e coragem para mudar, enfrentar esses abusos. Precisamos desconstruir essa ideologia de gênero na Educação. É urgente”.

Vereador Filipe Martins repudia questão sobre gírias gays em prova do Enem