Da redação JM

Após ter atacado os evangélicos dizendo que “quem precisa de pastor é ovelha’, a cantora baiana Daniela Mercury agora entrou com uma ação penal contra o deputado federal Sargento Isidório (Avante) que criticou o protesto dela sobre a censura da peça “O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu”, durante o Festival de Garanhuns, em julho deste ano, no estado de Pernambuco.

Os advogados da artista entraram com o pedido para condenação do parlamentar no dia 31 de outubro, e divulgaram a iniciativa na segunda-feira, 5. No pedido, a cantora diz que o vídeo, que foi publicado pelo parlamentar em sua página no Facebook e atingiu milhares de visualizações, contém “afirmações falsas e agressões absurdas”.

Durante o Festival de Inverno de Garanhuns, em 21 de julho, a cantora criticou no palco a censura à peça. “Já que a gente tá falando de amor, me choca profundamente que os políticos desse país censurem uma peça de teatro, que censurem uma exposição de arte de grandes artistas. É de uma petulância absurda!”.

VEJA TAMBÉM
Militantes: Deputadas querem cassar mandato de colega evangélico na Bahia

Os advogados levaram à Justiça uma gravação desse discurso e sustentam que não houve ofensa a nenhuma religião, como o pastor dá a entender, assim como não houve xingamentos a Jesus, nem atribuição sobre a sua sexualidade. “Daniela não diz que Jesus é travesti”, reforça a nota da equipe da cantora.

Com informações Veja