Da Redação JM Notícia

A prova de Português aplicada no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) 2018, realizada no último domingo (4), tem gerado uma série de críticas por conta de duas questões. A primeira delas exigia do aluno o conhecimento do dialeto de travestis e a segunda narrava a história de uma avó e neta que eram lésbicas.

O pastor Silas Malafaia criticou o teor da prova e diz que se trata de uma situação vexatória. “Olha o que eles fizeram na prova do Enem, colocando jargão de prostituição de gay… Isso é uma vergonha, gente. Tem que limpar [o MEC]”, declarou.

Malafaia vem denunciado o uso ideológico e político nas universidades de todo o país e acredita que as provas do Enem fazem parte deste plano de doutrinação de alunos.

“A minha oração é que o presidente Bolsonaro coloque um ministro da Educação, um cara macho, que não tenha medo de imprensa, nem de mídia, para limpar da educação brasileira, limpar do Conselho Federal de Educação, limpar esses caras que organizam o Enem”, completou Malafaia no vídeo.

VEJA TAMBÉM
Gibi "Viva a Diferença" mostra para as crianças as diferenças entre meninos e meninas

Psicólogo por formação, o pastor Silas Malafaia entende que é hora dos jovens serem instruídos “para serem alguém na vida” e não para serem usados para ideologias políticas. “A universidade brasileira […] está controlada por eles [militantes de esquerda]. Não tem discussão de ideias, não tem democracia. Eles dominam”, lamentou.

Apoiador de Bolsonaro, Mafalaia clamou a Deus para que o novo presidente possa colocar pessoas certas nos ministérios. “Meu Deus, ilumina o presidente Bolsonaro para colocar gente certa nos postos chave do Brasil, e na Educação limpar essa cambada inescrupulosa que quer destruir valores morais e de família”.

Assista: