Da Redação JM

Em entrevista ao jornal israelense Hayon, o presidente eleito Jair Bolsonaro confirmou que seguirá o exemplo dos Estados Unidos e mudará a Embaixada brasileira de Tev Aviv, para Jerusalém.

“Israel é um Estado soberano. Se os senhores decidirem qual é a sua capital, nós os seguiremos. Quando me perguntaram durante a campanha se transferiria a Embaixada se fosse eleito presidente, respondi sim. Vocês decidem sobre a capital de Israel, não outros povos”, afirmou Bolsonaro.

Palestino ataca Bolsonaro após promessa de retirar embaixada palestina do Brasil

Ao tomar conhecimento dessa decisão, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, usou o Twitter para comemorar e dizer que estava emocionado com tal declaração.

Malafaia comenta

A transferência da embaixada é apoiada por líderes evangélicos. O pastor Silas Malafaia, um dos líderes expressivos do país que apoiam Bolsonaro comenta a promessa.

“Jerusalém, desde que David a fundou, sempre foi capital do Estado de Israel. Onde Jerusalém foi capital do mundo árabe? Eu não conheço na história. Ele (Bolsonaro) acha que é um Estado soberano, que tem o direito de colocar a capital onde quiser”, disse o pastor Silas Malafaia, da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, um dos líderes mais próximos de Bolsonaro.

VEJA TAMBÉM
Brasil deve votar contra Israel em reunião da UNESCO nesta terça

“Não houve pressão dos evangélicos, mas nós somos 100% a favor disso, ou pelo menos 99,9%, se tiver algum ‘esquerdopata gospel’ aí”, disse Malafaia.

O pastor não acredita que a reação dos países árabes fará Bolsonaro mudar de ideia e diz que nenhum deles deixou de negociar com os Estados Unidos depois da mudança da embaixada americana para Jerusalém. “Quando Bolsonaro mudar a embaixada para Jerusalém, o Brasil vai ser abençoado como nunca. É a minha fé”, disse Malafaia.

Com informações Terra