Da Redação JM Notícia

 “O professor deveria ser mais democrático”, diz Marilon sobre Júnior Geo na condução da CPI

Mais uma parlamentar questionou na manhã desta quarta-feira (07) a condução da CPI do PreviPalmas, pelo vereador Júnior Geo (Pros). Desta vez, foi o vereador Marilon Barbosa (PSB), que afirmou que o “professor deveria ser mais democrático na questão para com os vereadores. Na hora de aprovar essa Comissão Parlamentar de Inquérito, Vossa Excelência precisou de todos os vereadores, e nós votamos favoráveis, mas que tivesse a participação dos vereadores”, disparou Barbosa.

De acordo com Marilon Barbosa, a participação dos demais vereadores na discussão da CPI do PreviPalmas, é um ato de democracia. Segundo Marilon, Júnior Geo centralizou a condução da CPI do PreviPalmas e proibiu que os vereadores que não fossem membros da Comissão, não realizassem perguntas aos convocados.

Críticas

Para o vereador Rogério Freitas, Líder do Bloco de Independentes na Câmara de Palmas, o vereador Júnior Geo agiu de forma monocrática, arbitrária ao vetar que parlamentares que não fossem membros da CPI realizassem perguntas durante a audiência pública, que na ocasião, contou com a convocacão do ex-prefeito de Palmas, Carlos Amastha, nesta terça-feira (06).

VEJA TAMBÉM
Vereador Júnior Geo contesta a redução de linhas do transporte coletivo de Palmas

O vereador Júnior emitiu Memorando Circular nº 15/2018, afirmando que as perguntas a serem feitas pelos membros da CPI do PreviPalmas, aos convocados deveriam ser encaminhadas antecipadamente à presidência da Comissão, o que segundo parecer da Procuradoria da Casa, fere o Regimento Interno.

 “O vereador que não seja membro da Comissão, poderá participar da discussão de matéria em estudo e apresentar sugestões, por escrito, sendo-lhe vedado o direito de voto”.

COMPARTILHAR