Angola fecha mais de 2 mil igrejas e promete fechar outras mil ainda este mês

Nova lei de liberdade religiosa faz milhares de denominações serem consideradas ilegais no país africano

Da Redação JM Notícia

Mais de duas mil igrejas já foram fechadas em Angola (foto: Africa Feeds)

preocupações em Angola quanto à aprovação de uma nova lei que regulamenta a liberdade religiosa. Mais de 2 mil igrejas já foram fechadas e mais de mil igrejas irregulares ainda poderão ser fechadas no mês de novembro.

O gabinete do governo de Angola aprovou, em agosto, uma lei que regulariza o exercício da atividade religiosa no país. Durante a sessão comandada pelo presidente João Lourenço, os membros também adotaram mecanismos para criação, modificação e extinção de instituições religiosas. O projeto de lei sobre liberdade religiosa, de crença e adoração foi então encaminhado para a Assembleia Nacional para aprovação.

De acordo com o que o jornal The East African publicou em outubro, registros do Ministério da Cultura mostram que há 84 igrejas ilegais na Angola e que outras 1106 estão esperando por reconhecimento. O governo deu um ultimato de 30 dias para que essas regularizem suas operações ou serão fechadas. Além disso, outras 2006 igrejas já foram fechadas.

O diretor para assuntos religiosos, Francisco de Castro Maria, disse ao Jornal de Angola que: “O número de igrejas ilegais no país chegou a 4 mil. Todas as igrejas ilegais têm até o próximo mês para mudar seus status”. Com informações de Portas Abertas