Da Redação JM

“Essas ferramentas são importantes para que ninguém desista da vida, mesmo que o mundo desabe sobre ela”, disse Cury. Foto: Reprodução

O psiquiatra e escritor Augusto Cury, o autor mais lido no país nos últimos 20 anos com 30 milhões de exemplares vendidos só no Brasil, lança“Você é Insubstituível”, programa de prevenção ao suicídio e a transtornos mentais ministrado por ele e disponibilizado gratuitamente pela internet.

Por meio de cinco episódios em formato de vídeo, com cerca de 15 minutos cada, o escritor fornece ferramentas para lidar com conflitos emocionais.

Além disso, o programa tem o objetivo de formar embaixadores que possam replicar esses conceitos, contribuindo para a identificação precoce de riscos de suicídio e outras questões relacionadas à saúde mental.

“Qualquer pessoa pode se apropriar desses conhecimentos. Essas ferramentas são importantes para que ninguém desista da vida, mesmo que o mundo desabe sobre ela”, afirma.

Igreja promove série de ministrações para jovens e adolescentes sobre depressão e suicídio

“Os capítulos mais importantes da nossa vida são escritos nos momentos mais difíceis. Considero a dor, a perda e a exclusão não um material para se autodestruir, mas sim matéria-prima para se autoconstruir. Usamos, nesse programa, ferramentas para mudar a maneira como as pessoas encaram as fases mais tristes da sua história”, completa.

Livro complementa o programa

Concomitantemente ao programa, o escritor está lançando o livro “Prisioneiros da Mente” (editora HarperCollins), que deve se tornar um seriado internacional. O programa e o livro se complementam, segundo ele.

“Os dois falam sobre os cárceres mentais. O livro mostra que no cérebro humano se produzem mais cárceres que nas maiores prisões do mundo. E o programa aborda os mais dramáticos cárceres mentais que são a depressão, a autopunição e a autocobrança”, afirma.

“Queremos mostrar, por meio desse programa, que cada um tem um potencial incrível para se reinventar. Você é insubstituível. Ninguém é igual ao outro. Somos pérolas vivas”, completa.

Saiba mais: Saber filtrar ofensas contribui para a saúde mental, diz Augusto Cury

Esses conceitos também são aplicados no âmbito da educação. O Escola da Inteligência (EI) é o primeiro programa mundial de gestão da emoção para crianças e adolescentes, de acordo com o escritor.

VEJA TAMBÉM
Tragédia: Jovem mãe comete suicídio e se joga de ponte junto com filho

“Há mais de mil escolas particulares, entre elas as escolas Batistas, Anglo, Objetivo, SAS e outros grupos educacionais, que aplicam o programa em sua grade curricular. Trata-se de uma aula por semana na qual os alunos aprendem habilidades importantes para protegerem sua emoção, gerenciar seu estresse, ser empáticos, empreendedores, resilientes e, consequentemente, autores da sua própria história”, explica.

Pastor Silas alerta sobre suicídio entre líderes cristãos: “pastor não deve andar sozinho”

Ele ressalta que não há restrição de idade para seguir o programa. “Muitos acabam desistindo da vida, principalmente adolescentes, porque foram abandonados por suas namoradas. Se ela me rejeitou, me caluniou e daí? Minha paz vale ouro, o resto é insignificante. Essa é umas das ferramentas vitais da gestão da emoção”, diz.

Embaixadores replicam conceitos do programa

Entre os embaixadores do programa “Você é Insubstituível” está a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB). A entidade realizou um evento recentemente com 150 juízes e servidores públicos de tribunais de todo o país em parceria com o Instituto Augusto Cury.

Neste evento, o escritor apresentou gratuitamente um curso de formação para replicadores do programa. O juiz Jayme Martins de Oliveira Neto, presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), afirma que o que motivou a entidade a aderir ao programa foi a elevação de casos de depressão e suicídio na magistratura.

“Quando conversei com o Augusto Cury sobre o assunto, percebi que não era uma particularidade de nossa carreira, mas sim um fenômeno mundial. Então decidimos fazer o curso”, afirma.

“O grande problema é identificar a situação a que o profissional está passando para poder atuar e poupar uma vida. Então nós vamos trabalhar nisso”, completa.

Ferramentas ajudam a gestão da emoção

Entre as chamadas “ferramentas da gestão da emoção” apresentadas por Cury no programa ele destaca alguns pontos. “Aprender a se doar sem medo, mas diminuir a expectativa do retorno, porque os íntimos são os que mais podem nos ferir; entender que ninguém muda ninguém. Temos o poder de piorar os outros, mas não de mudá-los; quando alguém aumenta o tom de voz deveríamos diminuir, porque quem agride é frágil, do ponto de vista psiquiátrico”, afirma.

VEJA TAMBÉM
Políticos debatem suicídio assistido para “idosos cansados ​​da vida”

Ele ainda ressalta que, para cuidar da saúde mental, é preciso se blindar das ofensas. “Uma pessoa não compra aquilo que não lhe pertence, sua paz vale ouro; é preciso entender que, por trás de uma pessoa que fere, há uma pessoa ferida. Outra ferramenta vital: a melhor vingança contra o inimigo não é ter sentimento de vingança, porque isso faz mal ao hospedeiro, mas sim perdoar seu algoz, assim ele não dormirá com você”, conclui.

Já a obra “Prisioneiros da Mente” conta a história de um homem rico e poderoso que recebe o diagnóstico de um câncer em fase terminal. Ao analisar sua vida, decide cortar todos os recursos financeiros dos filhos, que viviam em conflito.

“Ele percebe que acertou no trivial e errou no essencial. Ganhou dinheiro como poucos, mas seus filhos se digladiam e não o amam pelo que ele é, mas pelo que ele tem. Então, ele retira o dinheiro para ver se sobram afeto, solidariedade, generosidade”, diz.

“Ele leva os filhos ao limite, assim com Deus de Israel levou o povo ao limite ao andar por 40 anos pelo deserto e quando o mestre dos mestres levou seus discípulos ao limite quando disse que seria morto de maneira vexatória por meio da crucificação. Esse pai tira todos recursos e vai fazer com que os filhos se doem ao máximo à humanidade sofrida. Os filhos passarão pelo teste?”, finaliza.