presidente eleito Jair Bolsonaro ofereceu condições diferentes para que os médicos cubanos continuassem trabalhando no Brasil e o governo de Cuba não aceitou a proposta, resolvendo cancelar o programa.

A decisão foi anunciada por Bolsonaro em suas redes sociais. “Condicionamos à continuidade do programa Mais Médicos a aplicação de teste de capacidade, salário integral aos profissionais cubanos, hoje maior parte destinados à ditadura, e a liberdade para trazerem suas famílias. Infelizmente, Cuba não aceitou”.

programa Mais Médicos, firmado entre o governo de Dilma Rousseff, trazia médicos cubanos para trabalhar no Brasil. Além de não poderem trazer suas famílias, os profissionais não ficam com a totalidade de seus salários, pois boa parte era dada ao governo cubano.

Entidade evangélica oferece apoio jurídico a médicos cubanos que desejam permanecer no Brasil

Após isso, a grande mídia e os partidos de esquerda fizeram o maior barulho criticando e dizendo que não teriam médicos para os lugares do cubanos, mas não foi isso que aconteceu.

Reportagem do Jornal da Record de ontem revelou como o fim do programa “Mais Médicos” com Cuba se tornou a realização do sonho de milhares de jovens médicos brasileiros.

VEJA TAMBÉM
Ministério da Saúde investiga governo do Tocantins por falsificação de dados

Foram mais de 30 mil inscritos em busca das vagas deixadas pelos cubanos, ou seja, o Brasil sempre teve médicos suficientes para atender a população.

Assista:

https://youtu.be/gY338DRup0g