“Os islamistas nos caçam e toda vez que percebemos que corremos perigo, fugimos imediatamente. Nem sequer podemos comprar comida. Só saio à noite com o rosto coberto”, declarou

Um grupo de islamistas disparou contra a casa que refugia duas das filhas de Asia Bibi, denunciou Joseph Nadeem, que está cuidando da família da mãe desde que foi sentenciada de morte em 2010 acusada falsamente por blasfêmia.

“Estamos com medo. Nos últimos dias, os islamistas dispararam contra a porta da nossa casa. Estamos recebendo ameaças constantemente e em mais de uma ocasião nos perseguiram”, disse Nadeem, cuja família acolhe duas filhas de Asia.

Em declarações à Fundação Pontifícia Ajuda à Igreja que Sofre (ACN), Nadeem contou a dura experiência que estão vivendo desde que a Suprema Corte do Paquistão declarou Bibi inocente do crime de blasfêmia, no último dia 31 de outubro.

Finlandeses são presos por evangelizarem na Malásia

Como Asia Bibi e seu esposo Ashiq são praticamente analfabetos, Nadeem os ajuda com advogados e acompanhou durante anos Ashiq e a sua filha Eisham em suas viagens ao exterior, testemunhando o seu sofrimento e oferecendo apoio a Asia.

Posteriormente, em uma sentença histórica em 31 de outubro, a Suprema Corte declarou inocente a mãe de cinco filhos e ordenou que ela fosse libertada. Entretanto, Nadeem disse que, “quando absolveram a Asia, tivemos que fugir”, e acrescentou que tanto Bibi como o seu esposo estão em um lugar seguro, protegidos pelo governo, mas a sua família não poderia estar com eles.

VEJA TAMBÉM
"Na América não idolatramos o governo, nós adoramos a Deus", diz Trump em discurso

Esposo alerta que vida de Asia Bibi ainda corre perigo na prisão

Desde então, as filhas de Asia Bibi, junto com a família Nadeem, tiveram que mudar de casa quatro vezes. “Os islamistas nos caçam e toda vez que percebemos que corremos perigo, fugimos imediatamente. Nem sequer podemos comprar comida. Só saio à noite com o rosto coberto”, declarou Joseph.

Nadeem disse que conheceu Asia Bibi uma vez, pouco depois da sua libertação, mas se comunicam por telefone todos os dias. Além disso, acrescentou que ele está ciente desta situação difícil e está muito preocupada com suas filhas.

Além disso, expressou sua admiração pela resistência de Asia Bibi depois de tudo o que aconteceu. “Ela é uma mulher incrível, ela manteve uma fé inabalável e uma confiança infinita no Senhor”, disse.

“Pode parecer estranho, mas ela nos apoia nestes tempos difíceis. Ela nos convida a não desanimar e diz que, em comparação com o que aconteceu até agora, este é apenas um breve momento que passará”, assinalou Joseph.

VEJA TAMBÉM
Como Paulo e Silas: Chinês louva a Deus na prisão

Desde que a mãe católica foi libertada, Esha e Eisham ainda não abraçaram a sua mãe, disse Nadeem, mas conseguiram recuperar um pouco da vida familiar por telefone. Do mesmo modo, recordou a primeira ligação telefônica que ambas tiveram com sua mãe. “As duas irmãs choraram de alegria durante horas. A Asia espera se encontrar com elas e espera deixar o país em breve com sua família”, disse.

“A atenção e a solidariedade internacional nos fortalece. Eisham se comoveu quando viu a sua mensagem de vídeo exibida em Veneza iluminada de vermelho. Todos nós, incluindo a Asia, estamos agradecidos com todas as pessoas que levantam suas vozes para denunciar a nossa situação”, manifestou Nadeem.

Também disse que querem “poder deixar o Paquistão em breve para viver em um lugar seguro” e “esperamos que as nossas duas famílias possam passar o Natal em Roma”.

Com informações ACI