“Deus nos presenteia com a chance de amar os que nos cercam e têm menos condições”, diz o missionário responsável pelo projeto. Foto: Divulgação

A cada dia aumenta mais o número de pessoas vivendo nas ruas. Para quem vive nessa situação, falta tudo: teto, comida, agasalho, segurança, e até um olhar de afeto.

Para tentar ao menos amenizar a dor do outro, o Projeto Maltrapilho vai anualmente uma ceia chamada Natal Solidário numa área que fica embaixo de uma ponte em Vila Velha-ES.

“Pelo quarto ano seguido, Deus nos presenteia com a chance de amar os que nos cercam e têm menos condições. Neste dia estaremos junto à população em situação de rua servindo um café da manhã e almoço para aqueles que ali residem. Haverá pula-pula para a criançada, brincadeiras, teatro de bonecos e muito amor envolvido!”, explica João Valvassori, que é pastor, missionário e empreendedor social, responsável pelo projeto.

Igreja arrecada quase 1 tonelada de alimentos para doar no Natal

“Vamos com a gente fazer o Natal de 150 pessoas mais feliz?”, pergunta Valvassori, que necessita de doações para a ação social. Ele e sua rede de voluntários precisam de doadores para doarem tudo o que é entregue. Quem se interessa pelo projeto encontra no Facebook ou Instagram o Projeto Maltrapilho.

VEJA TAMBÉM
Família de missionário morto a flechadas diz que perdoa os que cometeram o ato

O projeto social atua em Vila Velha e em Cariacica desde 2015, junto à população que utiliza as margens sociais como pontos de residência e/ou prostituição. Com intervenções socioeducativas e inclusivas, o Maltrapilho atua nos finais de semana na orla em Itaparica e na 3 ponte, buscando gerar nesses espaços ações cidadãs de resgate a população em situação de rua, e profissionais do sexo que ali se encontram.

Com o acompanhamento continuo, foi percebida a carência espiritual dessa população. A partir daí, foi implantado o Igreja Na Rua, que se reúne aos domingos embaixo da ponte oferecendo aos moradores auxílio espiritual a todos que ali estão, além de uma alimentação sadia (cafe e almoço), corte de cabelo, roupas e dicas sobre saude e autocuidado. Tudo com o suporte de voluntários e com apoio de algumas instituições religiosas.

O projeto está crescendo e hoje está buscando parcerias e apoio para terminar a reforma do em um galpão no bairro Jardim Botânico. Lá serão oferecidos aulas de reforço escolar, cursos profissionalizantes, apoios psicológico e espiritual, e atividades culturais.

VEJA TAMBÉM
Missionário é condenado a 10 anos de trabalho escravo na Coreia do Norte

Com informações Gazeta