Da Redação JM

Teólogo reformado pede que pastores se preparem para receber centenas de fieis pentecostais e neopentecostais que estão saindo de suas igrejas. Foto: Reprodução

O teólogo presbiteriano Reverendo Augustus Nicodemus Lopes publicou um post em seu perfil do twitter na tarde do último domingo (02) que gerou uma repercussão muito grande. A fala do pastor reformado foi sobre a saída de centenas de pentecostais e neopentecostais de suas igrejas para as igrejas de teologia reformada após estes conhecerem a teologia pregadas por estas últimas.

Nicodemus alerta os líderes reformados que se preparem para receber esses irmãos vindos do pentecostalismo e do neopetencostalismo, pois se preocupa com a possibilidade deles se decepcionarem caso não encontrem em seu destino uma comunidade preparada para lidar com seus anseios.

Os reformados precisam se preparar para receber as centenas e centenas de irmãos pentecostais e neopentecostais que descobriram a fé reformada pela internet e estão vindo cheios de expectativa e esperança para as suas igrejas. Senão a desilusão deles será grande“, escreveu Nicodemus.

“Reforma Protestante é mais que cinco pontos”, ensina Augustus Nicodemus

O post do reverendo rapidamente gerou uma onda de comentários. Alguns de apoio ao seu alerta, outros de testemunhos desses membros que migraram das demais correntes teológicas para o reformismo e, por fim, de outros líderes e teólogos que não gostaram das palavras do líder presbiteriano.

Críticas

O pastor Robson Aguiar chamou de “prepotência” as palavras de Nicodemus. Para ele, ao assim se manifestar, o reverendo estaria fazendo “proselitismo calvinista.”

A decepção será grande. Essas pessoas saem do movimento pentecostal pensando em encontrar uma igreja perfeita, e não encontraram. E o motivo deles irem e por ouvir suas pregações, as do Hernandes e Héber Campos, mas nem todos os pastores possuem esse nível.“, escreveu outro internauta.

Para outro fiel, o desejo do pastor deveria ser “que as igrejas pentecostais e neopentecostais que julga estarem em desacordo com a doutrina bíblica corrigissem seus erros, não que fossem esvaziadas.

VEJA TAMBÉM
Evangélicos somam mais de 830 mil no Distrito Federal

Pentecostais comentam

Líderem pentecostais comentaram a fala de Nicodemus. O pastor e escritor José Gonçalves, teólogo, escritor assembleiano e Membro da Comissão de Apologética da CGADB, diz que o post traz “de forma subliminar a supremacia da teologia reformada e a ‘problemática’ da práxis pentecostal”.

Em que sentido os reformados precisam se “preparar” para receber pentecostais? Somente se enxergamos os pentecostais como um grupo inferior ao reformado ou ate mesmo subalterno. A imagem é de imigrantes, pessoas desorientadas, confusas e sem rumo em busca de asilo. Seriam os reformados, que se consideram o primeiro mundo da teologia protestante, o porto seguro dos pobres advindos do terceiro mundo, os pentecostais? Se este for o caso seria bom lembrar que a teologia protestante, da qual os reformados se acham os legítimos herdeiros e, por isso mesmo parecem querer patenteá-la, não é e nunca foi cem por cento pura. Nem mesmo cem por cento bíblica! Se há problemas dentro da comunidade pentecostal, da mesma forma dentro do arraial reformado“, alertou Gonçalves. Confira o texto na íntegra (aqui)

Ele ainda mostra que mesmo com a polêmica provocada pelas palavras de Augustus Nicodemus, é necessário uma autocrítica pelos líderes pentecostais, pois tal “êxodo” não acontece por acaso.

O texto demonstra consciência do arrefecimento da experiência pentecostal. Há um pentecostalismo sem pentecostes. Em muitos contextos pentecostais a experiência se sobrepõe a palavra de Deus e não apenas a teologia. A Bíblia é usada para justificar práticas bizarras. Muitos líderes são mestres em inventar modismos para prender os incautos.

Um alerta “profetizado”

O comentário de Augustus Nicodemus é o resultado de algo que já tem se notado nos últimos anos e preocupado alguns pastores de vertente pentecostal, pois realmente muitos fieis estão tomando conta da teologia reformada, principalmente pela internet, e com isso tendo um sentimento de que suas comunidades estão aquém no quesito da exposição e interpretação bíblica.

VEJA TAMBÉM
Ministérios de louvor precisam buscar canções bíblicas, diz pastor

O teólogo assembleiano Gutierres Siqueira comentou, ainda no início de novembro, sobre esse problema gerado por esse suposto “conhecimento” adquirido por estes fieis, o qual ele chamou de “novo gnosticismo”.

Fico incomodado quando vejo alguns jovens usando uma linguagem de conversão ao abraçarem a chamada Teologia Reformada. Alguns dizem: ‘Saí das trevas!’. Outros dizem: ‘Encontrei a luz!’. Ou ainda: ‘Finalmente fui liberto!’“, alertou Siqueira.

“O fervor evangelístico tem diminuído em nossas igrejas”, alerta teólogo assembleiano

Gutierres diz fez ainda outro alerta para estes que se dizem impactados ao tomarem conhecimento das doutrinas da graça ensinadas pela fé reformada.

Teólogo pentecostal Gutierres Siqueira alerta para “novo gnosticismo” provocado por alguns jovens que dizem que fé reformada ‘mudou suas vidas’. Foto: Reprodução

É bem provável que esses jovens sejam hoje apenas pessoas que sabem explicar melhor a doutrina da justificação ou a doutrina da santificação, mas a salvação, vale destacar, não é um assentimento intelectual. Muitos ignorantes da doutrina da justificação serão justificados, outros conhecedores profundos dessa mesma doutrina nunca serão. Vamos tomar cuidado com esse novo gnosticismo que diz acreditar na suficiência de Cristo, mas no fundo se acredita justificado pela informação doutrinária que detém.“, finalizou.

Confira o post do reverendo Augustus Nicodemus:

Confira o post do escritor Gutierres Siqueira: