Da redação

Uilker Alves foi preso suspeito de invadir igreja e esfaquear fieis, em Aparecida de Goiânia — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

A mãe do pedreiro Uilker Alves, de 28 anos, que confessou ter invadido uma igreja e esfaqueado quatro fiéis, disse que o filho tem esquizofrenia e pode ter agido após um surto. A costureira Eulice Maria Teixeira Alves, de 54 anos, afirmou que desmaiou ao receber a notícia sobre o ocorrido. Apesar disso e da tentativa de tirar o homem da prisão para poder interná-lo, ela condena a atitude dele, a qual classifica como “coisa do diabo”.

Ela e o ex-marido, Antônio Moreira Alves, de 57 anos, estão em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital, para tentar ajudar o filho, que foi preso logo após o ataque. Eles até contrataram a advogada Cláudia Barbosa de Resende Rodrigues para auxiliá-los. A profissional disse que “é muito cedo” para falar sobre uma tese de defesa.

Pastora e esposo morrem esfaqueados pelo próprio filho no DF

O crime aconteceu na manhã de domingo (2), na Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, no Setor Colina Azul. Distante 196 km dali, em Goianésia, região central de Goiás, onde mora com Uilker, Eulice revelou que passou mal ao saber do que o filho tinha feito.

VEJA TAMBÉM
Pastor é sequestrado e queimado vivo na África do Sul
Eulice diz que o filho tem esquizofrenia, mas não concorda com atitude: ‘Coisa do diabo’ — Foto: Sebastião Nogueira/O Popular

“Ele falou para mim que ia para Brasília para trabalhar. Estou em estado de choque até agora. Uma amiga da minha filha me avisou. Quando ela mostrou a foto e vi que era ela, eu desmontei. Desmaiei e fui parar no hospital”, disse.

Apesar de tentar ajudar a recuperar o filho e colocá-lo numa clínica, ela afirma não ser conivente com o seu comportamento.

“Eu acho que isso aí é coisa do diabo, sabe. Como é que pode sair por aí esfaqueando os outros desse jeito? Eu não cubro erro de ninguém. Não acho correto o que ele fez, mas tenho que ajudá-lo”, pondera.