Damares Alves aceita ser ministra de Direitos Humanos, confirma General Mourão

Damares é advogada, educadora e uma das maiores militantes pró-vida e pró-família da história do Brasil

Da Redação JM

Damares Alves aceitou ser ministra de Direitos Humanos, confirma General Mourão

Damares Alves aceitou ser Ministra de Direitos Humanos do Governo Jair Bolsonaro. A informação foi divulgada nesta quarta-feira, 05, pela revista Crusoé e pelo vice-presidente Hamilton Mourão em entrevista.

General Hamilton Mourão (PRTB), esteve em Belo Horizonte nesta quarta-feira (5) pela primeira vez após as eleições de outubro. Ele participou do evento “TSX / Winter Carvalho: Doing Business in Brazil 2019”, na Savassi, região Centro-Sul da capital. Durante entrevista, Mourão afirmou que está definido que  a advogada e pastora Damares Alves vai chefiar o novo Ministério de Direitos Humanos, Família e Direitos da Mulher.

Praticamente toda a equipe do novo governo está formada, faltando apenas o Meio Ambiente. As noticias de hoje dão conta de que a Damares aceitou o convite para comandar o Direitos Humanos. O Meio Ambiente ainda exige mais conversa, pois existem muitos atores interessados. Podemos dizer que a passagem de dados do governo está sendo feita de forma republicana”.

O Antagonista trouxe mais detalhes e disse que “Damares Alves ligou ontem à noite (terça-feira, 04) para Jair Bolsonaro e disse que aceita ser ministra ou secretária dos Direitos Humanos do futuro governo”.

Agora, só falta a confirmação oficial que é a divulgação feita pelo próprio presidente nas redes sociais confirmando o nome de Damares como sua ministra de Direitos Humanos. Bolsonaro tem feito assim com todos os demais nomes por ele escolhidos.

VEJA TAMBÉM
Ministro do STF defende ideologia de gênero abertamente: “não se nasce mulher, torna-se mulher”

Entenda

Damares Alves foi convidada por Bolsonaro para ocupar o posto de ministra de Direitos Humanos e Mulheres. Ela tem apoio dos conservadores em geral, pois suas pautas principais são em defesa da vida e das crianças.

Advogada, educadora e uma das maiores militantes pró-vida e pró-família da história do Brasil, Damares Alves foi a escolhida pelo presidente Jair Bolsonaro para ser ministra dos Direitos Humanos, Mulheres e Igualdade Racial.

O presidente da Frente Parlamentar Evangélica, pastor Hidekazu Takayama disse em
entrevista exclusiva ao Agora Paraná que vê com bons olhos a indicação de Damares pelo
presidente eleito. “Ela tem defendido as nossas pautas e bandeiras da fé cristã. Temos inteira confiança no trabalho da Dra. Damares que tem o nosso apoio. Embora, ela não faça parte da lista tríplice da bancada para um Ministério, a Frente Parlamentar Evangélica reafirma o apoio a Jair Bolsonaro. Não estamos aqui para barganhar cargos, mas para contribuir com a mudança da história do Brasil”, disse Takayama.

“Crente, pastor não manda no seu voto”: Damares Alves dispara contra apoio de líderes a esquerdistas

VEJA TAMBÉM
Ministra Damares lamenta morte do pastor Anderson do Carmo: "profundamente abalada"

À frente do Ministério dos Direitos Humanos, Damares pode quebrar o paradigma do falso Direito Humano criado pela esquerda brasileira nos últimos governos que setorizou os “Direitos Humanos” e restringiu esse tema tão importante para o envio de recursos para questões ideológicas e manifestações LGBTI capitaneados por uma militância que atenta contra os princípios da família brasileira tentando a qualquer custo implantar a ideologia de gênero nas escolas. Ela terá a oportunidade de colocar no trilho esse assunto tão importante para a nação.