Vereador Vandim pede respeito em CPI do PreviPalmas: “Provável que formaram uma quadrilha”

Em mais uma sessão da CPI do PreviPalmas, realizada na noite desta quarta-feira, 5, o vereador Vandim do Povo, que é vice presidente da CPI, pediu respeito a uma testemunha que veio de São Paulo para prestar esclarecimentos.

A primeira testemunha a ser ouvida foi a senhora Ivete Magali Winter Reis, o segundo foi Carlos Eduardo Franco, ambos representantes da Icla Trust e MHFT Investimentos. A terceira foi a ex assessora jurídica do PreviPalmas, Danielle Rodrigues dos Santos.
Em sua participação, a senhora Ivete Magali não contribuiu com informações, limitando-se a usar os termos, ”não sei”, ”não lembro’’, e outros. Durante interpelações da segunda testemunha, os presentes ficaram perplexos diante da postura de Carlos Eduardo Franco que não se lembrava de datas, ocasiões, nomes, nem mesmo sua participação em empresas que tinham seu nome como administrador.
Vandim do Povo pediu respeito à segunda testemunha devido sua postura, destacando que 58 milhões sumiram do PreviPalmas, que a população deve saber a verdade e ter seu dinheiro recuperado.
A ex assessora Jurídica do PreviPalmas, Danielle Rodrigues dos Santos, foi questionada, entre outros pontos, sobre seu parecer no processo, vir após o credenciamento da empresa. Com o processo tendo passado por diversos setores.
Já nesta manhã, 06, em sessão ordinária na Câmara, o Parlamentar relatou em tribuna a sua indignação com os depoentes e que ficaram até uma hora da manhã para não ter respostas claras e coesivas. “Não dá para acreditar um estagiário ter mais de 10 empresas abertas em seu nome e ser acionista e cotista. Provável que formaram uma quadrilha para fazer a lavagem de dinheiro, onde foi incluso o PreviPalmas. Um malandro desse precisa ser preso”, comentou.
Com informações da assessoria do vereador Vandim do Povo

Léo Barbosa diz estranhar respostas de Zini durante oitiva da CPI do PreviPalmas