Eduardo Bolsonaro pede Heloísa Wolf em casamento Foto: Reprodução

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente eleito, Jair Bolsonaro, surpreendeu neste sábado os participantes da Cúpula Conservadora das Américas, em Foz do Iguaçu, no Paraná, ao pedir em casamento a noiva, a psicóloga Heloísa Wolf. O deputado se ajoelhou com a aliança em mãos, diante da plateia, e fez o pedido, que foi respondido com um sonoro sim.

— Vocês sabem que ano que eu vou casar, mas isso não é oficial. Então, Heloísa Wolf oficialmente você aceita casar comigo? — perguntou Eduardo Bolsonaro, que então se ajoelhou.

O casal demonstra muita felicidade em suas redes sociais após o relacionamento seguir um passo adiante. Em um vídeo compartilhado pelo deputado no Instagram, a partir do perfil da sua noiva, Heloísa esbanje um soriso a todo momento durante o pedido de casamento.

“Eu pretendia (ainda pretendo) postar sobre esse evento, que foi MARAVILHOSO, mas no final fui surpreendida com esse pedido. Inesquecível esse dia. Obrigada @rogeriabolsonaro por registrar isso… @bolsonarosp Yes I do!”, registrou a psicóloga.

VEJA TAMBÉM
CNJ proíbe cartórios de registrar união estável poliafetiva

Em um post nos Stories, Eduardo Bolsonaro publicou uma foto de Heloísa já usando o anel de noivado.

Aliás, ela também comemorou o momento em seu perfil da rede social e ressaltou ter amado o anel de noivado.

“E esse ‘anel patriota’? Esmeralda nacional, ouro nacional, designer nacional e mão de obra nacional”, escreveu na legenda de uma publicação.

Evento reúne conservadores

Com quatro eixos – cultura, economia, segurança e política – a Cúpula Conservadora das Américas disparou críticas aos ideais socialistas e os problemas, que segundo seus organizadores, provocou dificuldades políticas em diversos países latino-americanos, incluindo Cuba e Venezuela. Como alternativa, os conferencistas apresentaram propostas liberais na conduta econômica e conservadoras quando se trata de valores familiares.

A Cúpula reuniu cerca de 600 pessoas em um centro de convenções de Foz do Iguaçu. A adesão foi bem abaixo do total de 1.500 pessoas inscritas, gratuitamente, no site do evento. Com custo de aproximadamente R$ 300 mil, o evento foi bancado pela Fundação Indigo de Políticas Públicas, ligada ao PSL.

VEJA TAMBÉM
Pastor critica banalização do casamento: 'véus cada vez mais longos e casamentos cada vez mais curtos'

As estrelas da Cúpula foram os deputados Eduardo Bolsonaro e o príncipe Luiz Philippe de Orleans e Bragança. Antes do início da programação, os participantes faziam fila para tirar fotos com os parlamentares.

A presença de um movimento pró-monarquia movimentou a cúpula. Um grupo de Foz do Iguaçu que defende a instalação de uma monarquia parlamentar chamou atenção ao exibir a bandeira do império brasileiro.

O clima antipetista era evidente até no mundo virtual. As duas principais redes de Wi-Fi do evento eram denominadas #Lulatapresobabaca e Petistanaoegente.

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, fez uma rápida participação por vídeo no encerramento da Cúpula. Ele criticou regimes socialistas, ressaltou o sofrimento do povo cubano e lembrou de episódios da campanha presidencial em especial o dia 6 de setembro, quando foi esfaqueado num evento de campanha em Juiz de Fora (MG).