Da Redação

As secretarias que ficaram com os maiores orçamentos foram Educação e Saúde

A Câmara de Vereadores de Palmas aprovou, por unanimidade, o orçamento da capital para 2019. A previsão é de que a cidade arrecade R$ 1,2 bilhão, cerca de R$ 100 milhões a menos que o estimado para 2018. As secretarias que ficaram com os maiores orçamentos foram Educação e Saúde.

A aprovação foi durante uma sessão extraordinária nesta quinta-feira (13) que durou quase três horas. A lei agora segue para a sanção da prefeita, Cinthía Ribeiro (PSDB).

A Secretaria de Educação vai receber 27% do total de recursos. O valor chega a quase R$ 300 milhões. A Secretaria de Saúde aparece em segundo lugar, com R$ 226 milhões, ou 17% do total.

Apesar da diminuição na previsão de arrecadação entre 2018 e 2019, a Prefeitura de Palmas informou que houve frustração de receitas e por isso o município executou R$ 1,09 bilhão.

A área de infraestrutura receberá R$ 160,4 milhões e o Desenvolvimento Social R$ 23,3 milhões para desenvolver as atividades ao longo do ano.

A aprovação do novo orçamento foi menos tumultuada que a de 2018. Na época, um impasse entre os poderes executivo e legislativo travou a votação e a aprovação só saiu em fevereiro.

VEJA TAMBÉM
Filipe Fernandes afirma que Câmara de Palmas não faz política de "pão e circo" com emendas

Uma parte do dinheiro que a capital deve receber virá de empréstimos internacionais. A Corporação Andina de Fomento (CAF) deve financiar pouco mais de R$ 70 milhões em projetos de requalificação urbana da cidade.

A prefeitura ainda negocia também outros empréstimos com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) que ainda estão em fase de análise.