As acusações partiram da jornalista brasiliense Patrícia Lélis, 24, em 2016.

O inquérito policial que investigava o deputado Marco Feliciano (Pode-SP) por “crimes de estupro, lesões corporais, sequestro, cárcere privado, ameaça e corrupção de testemunha” foi arquivado pelo juiz da 4ª Vara Criminal de Brasília, Aimar Neres de Matos, e publicado nesta quinta (13).

As acusações partiram da jornalista brasiliense Patrícia Lélis, 24, em 2016.

No processo, que corre em segredo de justiça, o magistrado dá razão ao Ministério Público do Distrito Federal, que pediu para encerrar o caso “por não vislumbrar elementos mínimos para a propositura de ação penal”.

Lélis acabou se tornando ré em São Paulo por suposta tentativa de extorsão de um chefe de gabinete de Feliciano, que chegou a ser detido.

Com informações da Folha