Da Redação

Lixo foi encontrado dentro de galpão em Araguaína — Foto: Felipe Maranhão/TV Anhanguera

A Prefeitura de Araguaína informou que vai multar duas empresas envolvidas no escândalo do lixo hospitalar em R$ 22 milhões. A Agromaster S/A, que é dona do galpão onde toneladas de lixo foram encontradas, vai receber multa de R$ 10 milhões e a Sancil Sanantônio, que responde pelo recolhimento do material, de R$ 12 milhões.

O caso foi descoberto pela Polícia Civil de Araguaína em novembro. A prefeitura alega que a limpeza do local custou mais de R$ 200 mil e quer ser reembolsada pelo estado. As empresas vão receber as autuações via Diário Oficial.

A defesa das empresas citadas informou que não recebeu nenhuma notificação e que a empresa estranha o fato de a informação ser divulgada para a empresa antes de que os envolvidos tomem conhecimento.

Segundo a prefeitura, após a publicação, as empresas citadas terão 20 dias para apresentar a defesa. O Ministério Público também foi avisado.

Entenda

A polêmica envolvendo o lixo hospitalar de hospitais públicos do Tocantins começou no início de novembro, depois que fiscais da Prefeitura de Araguaína encontraram um galpão com toneladas de resíduos. O local foi ligado a duas empresas que pertencem à família do deputado estadual Olyntho Neto (PSDB).

VEJA TAMBÉM
Rodoviária de Araguaína lança aplicativo com horário dos ônibus