Da redação

A partir dessa lei, os Estados Unidos se comprometeram a aumentar a assistência financeira às comunidades que foram vítimas de crimes cometidos pelo EI. Foto: Reprodução

O presidente americano Donald Trump assinou uma lei que ajudará a assegurar ajuda às vítimas do Estado Islâmico (EI) na Síria e no Iraque, e a responsabilizar os militantes por atos criminosos. Ao assinar a lei, no começo de dezembro, Trump disse: “Em anos recentes, o EI cometeu atrocidades horríveis contra minorias étnicas e religiosas na Síria e no Iraque, inclusive cristãos”.

A nova lei foi chamada de “Ato de 2018 de alívio e prestação de contas sobre o genocídio no Iraque e Síria”. A partir dessa lei, os Estados Unidos se comprometeram a aumentar a assistência financeira às comunidades que foram vítimas de crimes cometidos pelo EI.

O presidente americano também disse que a nova lei permite ao Departamento de Estado e outras agências do governo conduzir investigações e processar os atos do EI. A Comissão de Liberdade Religiosa Internacional da ONU (USCIRF) manifestou apoio à assinatura da lei. “Com essa lei, reconhecemos a mensagem de que os responsáveis por esses crimes não escaparão da justiça”, disse a vice-presidente da USCIRF, Kristina Arriaga.