Da redação 

Circula nas redes sociais a informação que o presidente Jair Bolsonaro assinou um decreto cancelando o carnaval e a parada gay em 2019 para reduzir os gastos do Governo, mas tudo não passa de boato.

A notícia surgiu em diversos sites e blogs na primeira semana de janeiro de 2019 e rapidamente se espalhou também em grupos do WhatsApp. De acordo com o texto, o presidente recém-empossado Jair Bolsonaro teria assinado um decreto cancelando o carnaval e a parada gay no Brasil em 2019.

O presidente teria dito que as contas estão vermelho e, com um decreto, o fim do carnaval e da parada gay:

Temos que pensar primeiramente em nossas necessidades principais. Ninguém está autorizado a realizar financiamentos com os carnavais, principalmente os Prefeitos das Cidades, O calendário trabalhista continuará normal sem nenhuma exceção”, teria afirmado o presidente.

Ouça o áudio:

Verdade ou mentira?

No começo de janeiro de 2019, o site Folha Brasil News publicou uma notícia afirmando que Bolsonaro “poderá” assinar um decreto proibindo o carnaval e a parada gay. Sem citar nenhuma fonte, o site – que já é conhecido no E-farsas por espalhar inúmeras fake news – ainda coloca uma frase que teria sido dita por Bolsonaro, mesmo a tal frase já circulando pela web desde fevereiro de 2017, quando circulou uma notícia falsa afirmando que o então presidente Michel Temer iria cancelar o carnaval naquele ano!

VEJA TAMBÉM
Aliados tentam aproximar Alckmin dos evangélicos para diminuir a influência de Bolsonaro com o setor

Mesmo sem apresentar nenhuma fonte, o site Folha Brasil News conseguiu que outros sites copiassem a sua “notícia”, sendo que cada um acrescentou mais um detalhe.

Algumas manchetes davam como certo o cancelamento das festividades.

Nesse link do site do Planalto, você pode acompanhar todos os decretos assinados pelo presidente e perceber que até a publicação dessa nossa pesquisa não havia nada relacionado ao carnaval.

Conclusão

A  notícia afirmando que o presidente teria cancelado o carnaval e a parada gay de 2019 para conter os gastos do Governo é falsa.

Com informações E-farsas