Da redação

Servidores podem ser remanejados para a Secretaria da Saúde e o Detran — Foto: Reprodução

Os servidores efetivos de órgãos que tiveram atividades encerradas pelo governo do Tocantins devem ser transferidos para outras pastas. A informação foi divulgada pelo Palácio Araguaia, que disse que a prioridade é para a Secretaria de Saúde e o Detran, que estão com problemas no atendimento ao público.

Até o momento, o Executivo anunciou que está fechando o Escritório de Representação em Brasília, o Banco do Empreendedor e a TVE. A estimativa do governo é que R$ 47 milhões por ano com estas extinções. Outra medida foi a demissão em massa de 15 mil funcionários temporários, entre eles mais de 600 médicos.

A equipe de Mauro Carlesse (PHS) anunciou as medidas como uma forma de se enquadrar na Lei de Responsabilidade Fiscal. O governo diz que até 31 de dezembro de 2018, os servidores efetivos representavam apenas 60% do número total e que com as mudanças a proporção deve chegar a 80%.

No comunicado o governo sinalizou também que não pretende ceder ao pedido do sindicato que representa os servidores para que a jornada de trabalho voltasse a ser de seis horas. O texto diz que: “o retorno da jornada de 8 horas é imprescindível para que a população tenha acesso aos serviços públicos oferecidos pelo Estado e tenha condições de ser atendida dentro de sua necessidade”

VEJA TAMBÉM
Mais de 20 hospitais públicos funcionam sem alvará no Tocantins

Com informações G1