Da redação JM

Apresentando uma imagem do Buda, a polícia tentou forçar os cristãos a abandonar sua fé e adorar a estátua

Um grupo de cristãos foi espancado e preso por funcionários do governo vietnamita depois que eles se recusaram a renunciar a sua fé e adorar uma estátua de Buda, revelou um pastor.

O pastor Hoang Van Pa disse ao grupo internacional de vigilância de perseguição International Christian Concern que as autoridades do governo ameaçaram 33 hmong protestantes na aldeia de Phá Lóm em novembro se eles se recusarem a renunciar à sua fé cristã.

A polícia supostamente reuniu informações pessoais sobre os cristãos e depois realizou um julgamento aberto perante a comunidade. Apresentando uma imagem do Buda, a polícia tentou forçar os cristãos a abandonar sua fé e adorar a estátua.

Quatro dos cristãos foram posteriormente presos e espancados, e funcionários do governo continuaram a perseguir os protestantes em vários outros ataques durante novembro e dezembro.

Esses grupos tribais “experimentam a mais intensa perseguição”, segundo o grupo de defesa da liberdade religiosa Open Doors , que classificou o Vietnã entre os 50 principais países onde a perseguição cristã é mais severa.

Como Dzung, o representante da Equipe de Inspeção Interdisciplinar, explicou que o Vietnã proibiu a fé cristã protestante. Aqueles que se recusam a renunciar à sua fé são expulsos.

A ICC observa que só no ano passado, mais de 100 crentes foram expulsos da província de Yen Bai e da província de Lao Cai. Eles tiveram que encontrar seu próprio caminho para fugir para a Tailândia, onde têm a perspectiva de solicitar o status de refugiado.

“Devido à sua origem étnica e à alta porcentagem de cristãos praticantes, a comunidade hmong do Vietnã é frequentemente alvo e assediada tanto pelo governo quanto pelas comunidades vizinhas”, escreveu a gerente regional da ICC, Gina Goh.

“Em um país comunista onde o cristianismo é frequentemente visto como antipatriótico ou uma ameaça ao regime, os cristãos hmong enfrentam constantemente discriminação, assédio, grilagem de terras, tortura e prisão.”

A ICC alertou que a perseguição aos cristãos hmong deve continuar em 2019 e exortou a comunidade cristã internacional a elevá-los em oração.

Via GH

VEJA TAMBÉM
Dois cristãos são atropelados e mortos