Cerca de 1,27 tonelada de calcário foram distribuídos ao longo de 2018 a pequenos produtores da Capital pela Prefeitura de Palmas. A distribuição é feita pela Secretaria de Desenvolvimento Rural (Seder), graças a um convênio com o Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa), e já beneficiou cerca de 290 produtores em um total de 470 hectares.

Os beneficiados ficam em Projetos de Assentamento (PA) Mariana, Santa Fé, Coqueirinho, Francisco Galvão, Taquaruçu Grande, Brejo Comprido, Serra do Lajeado, Novo Progresso, Aprilaje, São Silvestre, São João l e ll, Vila Agrotins, Taquari, Jaú, P.A Sítio.

Neste mês de janeiro, produtores dos projetos de assentamento (PA) Entre Rios já tiveram cerca de 70% dos produtores beneficiados já atendidos e nas próximas semanas serão atendidos os restantes e aqueles pertencentes aos PA Veredão, Serra do Taquaruçu, Estiva e Nova Aliança.

O diretor Operacional de Máquinas Agrícolas, Fernando Aires Castelo Branco Rodrigues, explica que todos os beneficiados fazem parte da cadeia de agricultura familiar de Palmas e recebem, além do insumo, o trabalho de incorporação do calcário no solo – trabalho feito pelos técnicos e maquinários da Seder.

VEJA TAMBÉM
Ministro do STF suspende lei que proíbe ensino de gênero e sexualidade nas escolas de Palmas

Desta forma, nessas propriedades o calcário garante melhor produção para culturas como mandioca, milho, feijão, abóbora, arroz, melancia, hortaliças e até mesmo pastagens para criação de animais. “No nosso município a maior parte do solo é bastante ácida e é a incorporação do calcário a ele que garante a correção para um plantio de maior qualidade e, por consequência, uma melhor produção. É, com certeza, um benefício ao pequeno produtor que, em maioria, tem baixa renda e depende da sua produção para sobreviver”, ressalta o diretor.

“Recebi e estou muito satisfeito. Não sei nem como agradecer”, disse o produtor de feijão, milho e mandioca, Sebastião Vieira da Silva, cuja propriedade fica no P.A. Entre Rios.

O calcário é importante para a produção porque eleva o ph do solo e neutraliza o alumínio que é prejudicial ao desenvolvimento das raízes da planta. Além disso, também melhora o aproveitamento dos nutrientes do solo como o nitrogênio, fósforo e potássio, garantindo assim, maior produtividade das culturas em solos corrigidos com o calcário.