Da redação JM

Uma igreja evangélica na cidade de Resistencia, Chaco, Argentina, sofreu ataques na parte da tarde desta segunda-feira, que foram cometidos por membros da Clasista e séries Movimento de Combate (MCC).

A Aliança Cristã das Igrejas Evangélicas da República Argentina (ACIERA) publicou uma declaração em que expressa o seu repúdio ao ataque contra o Centro Cristão para o Reavivamento da Igreja.

“Um grupo de cerca de 25 pessoas, usando lenços verdes e vestindo coletes clasista e Combate Movimento (MCC), picharam o templo, enquanto os membros eram agredidos fisicamente”

Nova York aprova projeto de lei que permite abortos até o nascimento, por qualquer motivo

“Além deste evento único, que acrescenta que sofreram muitas igrejas em diferentes cidades do país e da mídia nacional ter silenciado, estamos preocupados essa cultura da violência e da intolerância que se impõe como uma maneira de resolver o dissidência em nossa sociedade “, acrescenta o relatório.

Com a assinatura do Comitê Executivo da ACIERA, a entidade reafirmou sua solidariedade “com nossos irmãos da Resistência, reiterando nosso apelo à paz, respeito e tolerância”, conclui o texto.

A Direcção da província de Adoração, entretanto, simpatizava com o Centro Igreja Cristã de Revival e as pessoas afetadas no episódio infeliz e “condenou os atos de intolerância que fazer para construir a paz, compreensão e respeito mútuo pelas crenças “.

Portanto, o corpo provincial chamou “para a reflexão daqueles povos que incorreram em tais atos de agressão violenta” e exortou “a trabalhar e servir, para construir uma comunidade em paz que avança em valores e é construída em solidariedade”.

Este fato é apenas um dos muitos que ocorreram na Argentina, que aumentaram com a decisão do Senado contra a descriminalização do projeto de aborto.

Com informações CBN