Da redação JM

Um dos inimigos número um do conservadorismo e dos cristãos no Brasil, Jean Wyllys (PSOL-RJ) está indo embora do Brasil de maneira definitiva. Foi o que informou sua assessoria nesta quinta-feira (24) ao dizer que o parlamentar não tomará posse para o novo mandato.

A assessoria de Jean Wyllys informou que ele tem recebido ameaças e, por isso, decidiu não assumir o terceiro mandato parlamentar. A posse dos deputados federais eleitos está marcada para 1º de fevereiro. Jean Wyllys recebeu 24.295 votos na eleição de outubro.

Jean Wyllys ataca críticos do cantor que chamou Jesus de ‘bicha’: “facistas”

Segundo a assessoria do PSOL, o primeiro suplente da bancada do partido no Rio de Janeiro é o vereador carioca David Miranda.

Mais cedo, nesta quinta, Jean Wyllys concedeu entrevista ao jornal “Folha de S.Paulo” na qual informou que está no exterior e não pretende voltar ao Brasil. Na entrevista, o deputado diz que tem sofrido ameaças de morte.

VEJA TAMBÉM
Conselho de Ética arquiva representação contra o deputado Jean Wyllys

“O [ex-presidente do Uruguai] Pepe Mujica, quando soube que eu estava ameaçado de morte, falou para mim: ‘Rapaz, se cuide. Os mártires não são heróis’. E é isso: eu não quero me sacrificar”, disse Jean Wyllys à “Folha”.

Ainda ao jornal, Jean Wyllys disse que o PSOL, partido ao qual é filiado, reconhece que ele se tornou um “alvo” e apoiou a decisão dele de não retornar ao Brasil.

A assessoria de Jean Wyllys afirmou ainda que há uma campanha “muito pesada” contra o deputado, que dissemina conteúdo falso sobre ele na internet, o associando, por exemplo, à pedofilia, ao casamento de adultos com crianças e à mudança de sexo de crianças.

Com informações G1

Jean Wyllys diz que cuspiria ‘na cara do fascista’ novamente