Da redação

A primeira-dama Michelle Bolsonaro terá sua conta analisada pela Receita Federal. A quebra de sigilo bancário vai ocorrer por conta das movimentações bancárias do assessor parlamentar e ex-policial militar Fabrício Queiroz, que trabalhava para o enteado de Michelle, o senador eleito e ex-deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSL).

O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), unidade de inteligência vinculada ao Ministério de Justiça que fiscaliza movimentações financeiras suspeitas, apontou que Queiroz depositou um cheque no valor de R$ 24 mil na conta da primeira-dama.

Evangélica, Michelle Bolsonaro emocionou o Brasil em discurso de posse de Bolsonaro

Ela passa a ser alvo da investigação do Fisco por conta de um procedimento aberto na quarta-feira (23), segundo informações do jornal Valor Econômico.