Da redação 

No avião que o levava de volta à Itália, depois da primeira visita da maior autoridade da Igreja Católica à Península Arábica, o Papa Francisco admitiu a jornalistas que padres e bispos abusaram sexualmente de freiras, um tema considerado tabu, que ele nunca abordara antes.

— Houve padres e também bispos que fizeram isso — reconheceu Francisco ao ser questionado por uma jornalista, que se referiu a uma matéria publicada em uma revista mensal do Vaticano.

Papa diz que gay não pode ser sacerdote nem consagrado e revolta ativistas

‘Guerra civil’ na Igreja Católica pode abalar pontificado do papa Francisco

Sem mencionar nomes, Francisco também afirmou que seu antecessor, Bento XVI, dissolveu uma congregação “porque a escravidão se tornara parte da congregação, mesmo a escravidão sexual por parte de padres e de seu fundador”.

— Trabalhamos por muito tempo sobre este assunto. Suspendemos vários clérigos, que foram despedidos por isto — afirmou Francisco, sem mencionar nomes  nem países. — Não sei se o processo (canônico) terminou, mas também dissolvemos algumas congregações femininas que estiveram muito vinculadas a esta corrupção.