Da redação JM

Joaquim Maia, prefeito de Porto Nacional, se manifestou após o clima tenso gerado e visto durante a visita do governador Mauro Carlesse à ponte de Porto Nacional na manhã desta quinta-feira, 7. Carlesse anunciou a decisão de interditar a ponte para evitar um desastre e disse que “a vida é prioridade”.

A medida para a gente foi tomada de maneira intempestiva, sem planejamento e que vai trazer um transtorno muito grande para a população a partir deste momento“, criticou Maia.

Para o prefeito, a gestão foi tomada de surpresa após u anúncio da medida do Governo do Estado que foi feita “sem nenhuma discussão ou um posicionamento conclusivo a respeito das condições da ponte.

Ele lamenta o transtorno que será gerado com a interdição, pois ficará” complicado no que diz respeito a toda logística para o município como também para a região central do Estado”

“É uma ponte que faz a interligação entre a margem direita e esquerda do Rio Tocantins e permite a ligação do município de Porto Nacional com a Belém-Brasília e toda a interligação entre os municípios de Silvanópolis, , Brejinho de Nazaré, Monte do Carmo, Ponte Alta e o retorno de quem vem de Fátima, Aliança a Palmas e também a Porto Nacional”, explica o prefeito.

VEJA TAMBÉM
Com Base Aérea, Tocantins será estratégico na segurança aérea do Brasil, diz Carlesse

Após polêmica, Carlesse determina interdição da ponte de Porto Nacional: “a vida é prioridade”

Carlesse e Joaquim Maia batem boca durante interdição da ponte em Porto Nacional

Governo diz que vai instalar balsa em Porto Nacional até o começo de março

População de Porto Nacional prepara manifestação para cobrar reforma da ponte

MPE quer avaliação sobre a segurança da ponte de Porto Nacional e fala em omissão estatal

Vereador faz alerta sobre possível desastre em ponte de Porto Nacional

Joaquim Maia ainda diz que “espera que o Governo venha tomar as medidas compensatórias ao Município À população para que permita que essa situação seja minimizada ao máximo.

Entenda

Após o bate-boca entre Carlesse e a equipe do prefeito Joaquim Maia, ocorrido após a vista do governador na manhã desta quinta-feira, 7, em vistoria na ponte de Porto Nacional, na TO-255. O Governo comunicou oficialmente a interdição da ponte, fato questionado e motivo gerador da polêmica ocorrida durante o ato na manhã de hoje.

VEJA TAMBÉM
Município de Porto Nacional adere ao Programa de Educação Fiscal

Carlesse viu de perto a atual situação da superestrutura e determinou que a ponte seja interditada, de acordo com o cronograma já divulgado pela Agência Tocantinense de Transportes e Obras (Ageto), para que sejam feitos os estudos necessários.

“A ponte está interditada para que os técnicos possam trabalhar e nós tenhamos segurança para tomar a decisão que não coloque vidas em risco, afirmou o governador.

Ao ser questionado pela imprensa sobre os impactos financeiros que o município de Porto Nacional pode sofrer com a interdição, o governador ressaltou que sua prioridade é preservar vidas e evitar uma tragédia. “Entendo a situação, mas é preciso primeiramente preservar a vida das pessoas, essa é nossa prioridade. A interdição será mantida somente enquanto são feitos esses estudos e não podemos colocar a vida de ninguém em risco”, explicou.