Da redação JM

Juan dedicará 2019 à missão em Porto Alegre (Foto: Ana Claudia Rodrigues)

De Paço do Lumiar, região metropolitana da capital maranhense, até Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, Juan Correa decidiu viajar e dedicar dois anos de sua vida para ser um missionário. São 3.736 quilômetros até a cidade que foi escolhida para receber voluntários de oito países. Cada uma das 16 sedes administrativas enviou um representante para participar do projeto de voluntariado Um Ano em Missão.

O projeto é da Igreja Adventista do Sétimo Dia na América do Sul.

“A ideia é criar uma equipe representativa para ter essa interação entre hispanos e brasileiros e, principalmente, em suas diferentes áreas profissionais”, conta o pastor Carlos Campitelli, líder de jovens para oito países da América do Sul. Em geral, os participantes são jovens estudantes ou que já estão no mercado de trabalho e podem ter diferentes formações.

Em 2018, Juan não precisou ir muito longe. Mudou-se para Barreirinhas, vizinha a sua cidade natal, e ali deu aulas de informática e espanhol para alunos de uma escola rede pública de ensino. “A experiência foi muito fortificante espiritualmente”, conta o jovem que pretende estudar Teologia no futuro. Além disso, também ensinou a bíblia para pessoas que entrou em contato e promoveu, junto com outros missionários, ações públicas em datas comemorativas como o Dia das Mães, por exemplo.

VEJA TAMBÉM
Vítima do massacre de Suzano usava talento na obra de Deus, diz Igreja Adventista

O projeto Um Ano em Missão, OYiM (sigla em inglês), incentiva a participação de jovens adventistas na missão de evangelizar centros urbanos, conforme explica o site oficial. A primeira edição aconteceu em Nova Iorque, nos Estados Unidos, e desde então se espalhou pelo mundo. Na América do Sul, a iniciativa ganhou força e centenas de jovens já deixaram suas atividades por um ano para se dedicarem exclusivamente ao trabalho missionário.

Segundo o pastor Carlos Campitelli, a capital gaúcha foi escolhida “por ser uma ser uma cidade secularizada”, tendo um baixo percentual de adventistas em relação à população total do município. O trabalho será direcionado aos centros de influência que oferecem atendimentos à população carente.

Para ser parte desse grupo, portanto, o desempenho de Juan foi imprescindível. “Pela postura, pela maneira como liderou e pelo seu nível de comprometimento (na sua primeira missão, em Barreirinhas), pelo seu foco na missão e devoção pessoal, nos levou a indicá-lo como representante da União Norte Brasileira”, explica o pastor Tadeu Monteiro, líder de jovens para o Pará, Amapá e Maranhão.

VEJA TAMBÉM
Raio atinge Igreja Adventista e mata 16 fiéis durante culto

Esse será o segundo ano em que Juan dedica seu tempo integralmente à missão. “Minha expectativa é alcançar mais pessoas la em Porto Alegre, na capital menos evangelizada do Brasil, apresentando Jesus a essas pessoas e suprindo suas necessidades”, reflete o jovem.