Da Redação JM Notícia

URGENTE|| Fachin vota por enquadrar homofobia como crime de racismo; CGADB fala em “ameaça à liberdade religiosa”

Mais um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) votou a favor para enquadrar a homofobia e a transfobia como crime de racismo, desta vez, o voto é do ministro Luiz Edson Fachin, que afirmou que houve omissão e demora inconstitucional por parte do Poder Legislativo.

Em sua decisão nesta quinta-feira (21),  Fachin citou a proteção dos direitos fundamentais  que permite ao STF a interpretação de crimes sem que haja interferência na atividade legislativa. Além disso, argumentou que falta uma lei específica, o que inviabiliza o exercício de direitos da comunidade LGBTI.

A sessão desta quinta-feira é a quarta destinada ao julgamento das ações apresentadas pelo PPS e pela Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transgêneros (ABGLT).

As ações pedem a criminalização de todas as formas de ofensas, individuais e coletivas, homicídios, agressões e discriminações motivadas pela orientação sexual e/ou identidade de gênero, real ou suposta, da vítima.

Além de Fachin, o ministro Celso de Mello, também já votou favorável a matéria.

Marisa Lobo

Para a psicóloga Marisa Lobo, há confusão quando se fala em acabar com o preconceito contra as “minorias sexuais” (gêneros e LGBTT’s) para promover “a igualdade entre os seres humanos”.

VEJA TAMBÉM
STF julga nesta quarta ação para criminalizar homofobia, se aprovada, pastores poderão ser presos

“Seria aceitável se não usassem como estratégia a relativização moral, religiosa, impondo ideologias, pensamentos subversivos, tentando convencer com falácias apelativas e emocionais que, o gênero Binário (titulo que dão à heterossexualidade, que tem apenas dois gêneros-masculino e feminino) só é considerado normal dentro de uma sociedade heteronomativa, porque segundo, esses doutrinadores, “uma sociedade religiosa e proselitista normatizou este modelo e proíbe os outros gêneros [não binários] de existirem”.

CGADB diz a criminalização da homofobia é “ameaça à liberdade de expressão e religiosa”

Para a Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil, em nota assinada pelo pastor Douglas Roberto de Almeida Baptista, “a procedência da ação pode oficializar uma ameaça à liberdade de expressão e religiosa, tendo em vista que as supraditas ações podem tolher a livre manifestação de pensamento de crença não discriminatória.

Silas Malafaia

O pastor Silas Malafaia usou o twitter para protestar contra a manobra da esquerda que busca usar o STF para legislar em sua causa, pois sabe que o Congresso nunca aceitaria passar essa ação.mo homofobia , depois se verificou como crime comum ou briga entre eles. Qualquer um que se sentir agredido, ofendido, já existem leis para isso. Comparar homofobia a racismo é piada. Raça é condição, gay é comportamento.

VEJA TAMBÉM
Projeto no Senado quer criminalizar preconceito de identidade de gênero