Da redação JM

O jornalista Flávio Ricco (UOL) teceu duras críticas às igrejas que ocupam espaço em algumas redes de TV’s do país. O jornalista deixa a entender nas entrelinhas que o Governo deveria intervir e acabar com essa “essa maratona religiosa”.

O negócio televisão está cada dia mais bagunçado. E muito pior que do que essa realidade tão triste, é a perspectiva nenhuma de qualquer melhora nos próximos tempos. Os interesses maiores, por mais escusos que sejam, continuam a se sobrepor ao que a ordem, o bom senso e as próprias leis determinam. A CNT, cujo slogan é “A rede que abraça o Brasil”, exibe 22 horas diárias de programação da Igreja Universal do Reino de Deus, de Edir Macedo“, critica o jornalista.

O jornalista vai mais fundo e critica não somente o aluguel feito pelas igrejas dos horários das emissoras: ele critica até mesmo milagres feitos pelos tele-evangelistas.

Se algum médico oftalmologista parou um tempinho, na quarta, à noite, para ver o RR Soares na Band, certamente sentiu vontade de “rasgar” o diploma e fechar consultório. Pra quê? Se para curar miopia, astigmatismo, catarata… Conforme os vários relatos lidos no ar, bastou apenas tomar um copo de água.

VEJA TAMBÉM
Ex-atriz da Globo diz que fez "macumba" para conseguir papéis na TV

Ricco finaliza chamando tudo isso de “crime”.

Num país como o nosso, com o sistema de saúde pública caindo aos pedaços, mais que irresponsabilidade, é um crime o que se anuncia como milagre na televisão. E tudo ao ar livre. Escancarado e em qualquer horário.