Da redação JM

O endemoniado ataca várias igrejas evangélicas ( Assembleia de Deus, Batista, Presbiteriana, etc) e até a católica, menos a IURD

Após a polemica causada pelo vídeo que viralizou na internet e que gerou revolta entre evangélicos do Brasil, o líder da Igreja Universal veio a público pedir perdão. No vídeo, um homem que aparenta incorporar uma entidade demoníaca dentro da igreja do bispo Edir Macedo, ataca várias igrejas evangélicas ( Assembleia de Deus, Batista, Presbiteriana, etc) e também a católica.

Edir Macedo frisa que não tem nada a ver com isso, mas por conta da ofensa que o vídeo trouxe aos pastores do país ele resolveu pedir perdão. Ele conta ainda que já chamou a atenção do bispo Formigoni e que ele “deu lá suas desculpas.

Perdoe o Formigoni, não fique com mágoa dele não“, pede Macedo no vídeo.

https://youtu.be/k6Wssns0CcE

Entenda

O suposto endemoniado ataca também a santa católica, Nossa Senhora Aparecida, e a chama de desgraçada causando revolta nos católicos.

Incentivado pelo bispo Rogério Formigoni, um dos homens fortes da Igreja Universal do Reino de Deus, o endemoniado vai elencando várias denominações concorrentes à Universal que estariam sob domínio de forças do mal.

VEJA TAMBÉM
Bispo afirma que Igreja Católica está acima da Bíblia Sagrada e Malafaia rebate

A Igreja Universal está tatuando uma marca nas mãos de seus fieis? saiba a verdade

No final do depoimento, dado durante um culto gravado, Formigoni diz à plateia de fiéis: “Olha pra mim, não é sério isso? Pior de tudo é que tem uma multidão indo pro inferno dentro de uma igreja com uma Bíblia embaixo do braço”.

Arrependido

Em nota publicada em seu site no domingo (10), a Igreja Universal do Reino de Deus disse que repudia a atitude de seu bispo e reproduz vídeo em que ele pede “perdão a todas as igrejas” pela gravação com “um espírito que eu estava entrevistando”.

Na nota, a Universal diz que “uma das virtudes de um ministro evangélico é o discernimento espiritual. Acreditamos que Formigoni aprendeu, com este erro, a necessidade de desenvolver esta virtude”.