Da redação JM

Thom S. Rainer, escritor, pesquisador, palestrante e atual presidente e CEO da LifeWay Christian Resources, entidade da Convenção Batista do Sul em Nashville, Tennessee, escreveu um artigo em seu site onde fala sobre “5 motivos pelos quais os pastores estão sendo demitidos de suas igrejas”. No texto, o líder evangélico, fala que não se trata de “pastores perdendo suas vozes proféticas“, mas sim “sobre pastores e funcionários da igreja perderem seus ministérios por causa de seu fracasso em controlar suas línguas digitais“.

Rainer aconselha que a mídia social não é o lugar para desabafar ou travar batalhas mesquinha e pede que os líderes se atentem mais para isso, pois as  consequências são simplesmente grandes demais.

O pastor Augustus Nicodemus destacou o artigo do líder americano e fez questão de traduzir para os pastores brasileiros também serem edificados com ele.

“Rainer observa que muitos pastores estão sendo mandados embora de suas igrejas por causa de suas publicações no Facebook e no Twitter. Rainer está falando no contexto americano mas acho que tem semelhança com a situação no Brasil”, pontua Nicodemus.

De acordo Rainer, as igrejas nem sempre dizem ao pastor que ele está sendo mandado embora por causa de suas publicações na internet. Mas o fato tem se tornado cada vez mais frequente. Para Rainer, as cinco atitudes nas redes sociais que acabam causando desgaste e prejudicando o ministério dos pastores são as listadas abaixo em seu artigo.

VEJA TAMBÉM
"Estamos vivendo tempos difíceis,” afirma pastor André Martins

Confira o texto:

“Não é justo que eu perdi meu emprego”, o pastor me disse.

“Meus membros da igreja publicam coisas muito piores do que eu nas mídias sociais. É um duplo padrão.

Ele tem razão. É um duplo padrão. Mas é realidade. E, com maior frequência, mais pastores e funcionários da igreja estão perdendo seus empregos por causa do que publicam, particularmente no Facebook e no Twitter e, até certo ponto, em seus blogs.

A propósito, as igrejas nem sempre dizem ao pastor a razão específica para o disparo. Mas, uma vez que começamos a enfurecer nossos membros da igreja com nossos posts, muitos encontrarão uma infinidade de razões para nos dar o boot.

Eu recomendei recentemente um pastor para outra igreja. Eu penso muito bem dele. De fato, o presidente do comitê de busca parecia genuinamente entusiasmado quando o recomendei. Ele me contatou algumas semanas depois com este comentário: “Não podemos considerá-lo. Ele é muito sarcástico e sarcástico nas mídias sociais. ”

Claro, esse pastor não foi demitido. Mas ele nunca teve a chance de ser considerado por outra igreja.

Então, o que os pastores estão postando nas mídias sociais que estão aumentando a ira dos membros da igreja? Normalmente, ele se enquadra em uma ou mais dessas cinco categorias:

1- Comentários combativos e sarcásticos feitos de forma generalizada. Tem pastores que estão o tempo todo envolvidos em discussão no Facebook ou Twitter. Eles sempre querem provar que estão certos e vão discutir com quem discorda deles.

2- Comentários de natureza política. Se o pastor vive fazendo comentários políticos no ambiente incendiário de hoje certamente vai ofender alguém. E entre os ofendidos podem estar aqueles que vão lhe empurrar para fora da igreja.

3- Críticas abertas a membros da sua igreja. Pastores que repreendem e criticam membros de sua igreja publicamente geralmente são vistos como idiotas. O público não tem o contexto por detrás desses ataques.

4- Criticas a outras pessoas. Especialmente a pastores conhecidos e líderes cristãos consagrados.

5- Comentários desagradáveis. Pastores que costumam ficar falando mal de outras pessoas ou fazendo comentários negativos sobre tudo o que acontece não ganham nada com isso a não ser o desgosto e desprazer de membros de sua igreja.

Rainer termina o artigo dizendo que o mesmo não é sobre pastores perderem a voz profética. Mas é sobre pastores perderem seu ministério por falta de controle de sua língua digital. As mídias sociais não são o lugar para se envolver em discussões miúdas. As consequências são grandes demais.

VEJA TAMBÉM
Superação: A incrível história do pastor catador de lixo reciclável

“Se alguém pensa que é religioso sem controlar sua língua, então sua religião é inútil e ele se ilude. . . (A língua) polui todo o corpo, incendeia o curso da vida e é incendiada pelo inferno. ”(Tiago 1:26, 3: 6)

“A mídia social não é o lugar para desabafar ou travar batalhas mesquinhas.

As consequências são simplesmente grandes demais”, finaliza.