Da redação

A previsão da Delegacia de Investigações Criminais de Porto Nacional é de que o inquérito seja concluído nos próximos dias. O prazo para a finalização das investigações já foi prorrogado por duas vezes, mas desta vez o delegado responsável pelo caso, Diogo Fonseca, informou que acredita que não será necessária nova prorrogação.

Neste sábado completam dois meses do atentado contra o Prefeito de Novo Acordo, Elson Lino de Aguiar (MDB), que foi baleado na sua própria casa no dia 9 de janeiro. Segundo a Polícia Civil quem arquitetou o crime foi o vice-prefeito da cidade, Leto Mourão Neto (PRB). Além do político, outras duas pessoas também estão presas desde janeiro: um empresário, que é apontado pela polícia como o intermediador da contratação, e o atirador, que executou o crime. Os três estão presos na Casa de Prisão Provisória de Palmas.

É importante lembrar que a Polícia Civil descobriu que o crime foi planejado e que o vice-prefeito já teria contratado outras pessoas para matar o prefeito de Novo Acordo e chegou a dobrar a oferta para o atirador um dia depois do atentado.

VEJA TAMBÉM
Funcionários do Naturatins são alvo de operação da Polícia Civil

A motivação do crime investigada pela Polícia Civil é a suposta divisão de propina entre o prefeito e o vice-prefeito. A informação é negada pela Prefeitura de Novo Acordo.

Com informações CBN TO