Da redação JM

“A leitura bíblica proporcionará aos alunos fundamentos históricos e sua iniciativa não se contrapõe ao estado laico”, defende o deputado. Foto: Reprodução

O projeto de autoria do deputado Jeferson Rodrigues (PRB), da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego), autoriza professores e alunos da rede de educação pública e privada, de todos os turnos e séries, a lerem trechos bíblicos para darem início às aulas.

Segundo a proposta, a leitura é facultativa. Sobre os trechos, o documento apresentado pelo parlamentar ressalta que devem ser de fácil entendimento e que fale de “amor, justiça, fidelidade e fé”. O parlamentar veda qualquer tipo de menção a religião ou instituições religiosas sob o argumento de que a bíblia não é uma religião, e sim, “um livro sagrado onde todos podem ter acesso”.

Em justificativa, o parlamentar defende que o projeto “tem a finalidade de enriquecer o conhecimento dos alunos, pois os conhecimentos norteiam as atitudes humanas”. Para ele, “o projeto é de cunho educacional e não religioso”. “A leitura bíblica proporcionará aos alunos fundamentos históricos e sua iniciativa não se contrapõe ao estado laico. Proibir a leitura bíblica nas escolas é uma intolerância que leva ao preconceito e um ato de discriminação”, argumentou o deputado.

VEJA TAMBÉM
Aplicativo de música gospel lança versão de Bíblia falada

O projeto foi distribuído para relatoria do deputado Hélio de Sousa (PSDB) ao transitar pela CCJ. O parlamentar, por sua vez, concedeu parecer favorável à matéria que seguirá, agora, para apreciação em Plenário.

Jeferson Rodrigues é pastor da Igreja Universal do Reino de Deus por 22 anos e é filiado ao partido ligado à IURD.