Da redação

O pastor levou a mulher até uma estrada deserta para que seu sobrinho pudesse executar o crime

O homem que executou uma jovem em uma estrada perto da cidade de Mogi das Cruzes, no interior de São Paulo, foi identificado pela polícia: é o sobrinho do pastor e e ex-sogro da vítima, que foi preso após ser visto no velório.

O chocante caso do pastor e advogado Adir Neto Teodoro, de 52 anos, da Assembleia de Deus Ministério do Belém (AD Belenzinho), teve novos desdobramentos. Neto foi preso no dia 23 de janeiro no Jardim Márcia em Suzano após ter confessado que mandou matar a sua jovem nora Mirele Peixoto Souza Teodoro, 22 anos.

A participação do pastor no crime foi comprovada, depois que câmeras de segurança flagraram-o com a vítima antes do desaparecimento.

ASSISTE AQUI

O caso

De acordo com a polícia, Mirele e o filho do pastor foram casados por cerca de dois anos, estavam separados há seis meses e têm uma filha de oito meses. A separação não era formal.

Para o delegado seccional, o crime foi marcado pela frieza. “O pastor é um sujeito doutor em filosofia, formado em direito. Ele é um palestrante conhecido no universo evangélico, fazendo palestras sobre como se deve proceder para se chegar ao céu ou à vida eterna, de forma pacífica. Enfim, isso chamou atenção porque trata-se de um lobo em pele do mais absoluto cordeiro”, disse.

VEJA TAMBÉM
Semear começa hoje em São Bento; cantor Júnior é um dos participantes

O corpo de Mirele foi encontrado no dia 15 de janeiro, em uma área de mata na beira da Estrada do Taboão, em condições que indicavam que o assassinato havia sido há pouco tempo. Ela tinha marcas de dois tiros no pescoço e não estava com nenhum documento. Para a polícia, Mirele foi assassinada no mesmo local.