Da redação JM

Alunos vistos em uma sala de aula do ensino médio. | (Foto: Reuters / Stephane Mahe)

A maioria dos pastores protestantes e metade dos padres católicos acreditam que a escola é uma influência negativa no desenvolvimento espiritual de uma criança, de acordo com um novo relatório do Grupo Barna, informou The Christian Post.

Barna fez uma parceria com um grupo de reflexão religioso chamado Cardus para entrevistar 650 líderes protestantes e católicos no ano passado sobre o desenvolvimento espiritual entre os jovens.

Os entrevistados foram convidados a classificar certas entidades sobre se elas tiveram uma influência positiva ou negativa sobre o desenvolvimento espiritual de uma criança. As categorias eram “pais / família”, “igreja”, “escola”, “amigos / colegas”, “comunidade cristã” e “cultura / sociedade”.

De acordo com as conclusões divulgadas na terça-feira, 65% dos entrevistados protestantes e 50% dos entrevistados católicos viam a escola como uma influência negativa no desenvolvimento espiritual de uma criança.

“Na verdade, as escolas são classificadas ao lado de amigos e colegas de uma criança como influências principalmente negativas – uma visão mantida por 61% dos líderes protestantes e 65% dos líderes católicos”, disse Barna.

“Em alguns casos, a influência negativa percebida da escola ou do grupo de amigos de uma criança supera a influência positiva percebida pelo dobro.”

Barna observou que os padres católicos eram mais propensos do que os pastores protestantes a ver a escola como tendo uma influência positiva no desenvolvimento espiritual de uma criança.

“Essa diferença denominacional poderia ser explicada pela prevalência da educação escolar católica e pela possibilidade de os padres católicos avaliarem a influência de uma educação escolar religiosa”, explicou Barna.

Enquanto a escola estava no topo da influência negativa, a cultura / sociedade foi classificada como a pior, com 94% dos pastores protestantes pesquisados ​​e 92% dos padres católicos pesquisados ​​dizendo que a cultura / sociedade teve uma influência negativa no desenvolvimento espiritual da criança.

Ray Pennings, vice-presidente executivo da Cardus, disse em um comunicado divulgado na terça-feira que escolas, especialmente instituições acadêmicas cristãs, devem desempenhar um papel importante no desenvolvimento espiritual das crianças.

“Igreja e vida familiar são importantes na formação espiritual de jovens adultos, mas nossa pesquisa reforça que as escolas desempenham um papel importante também”, disse Pennings.

“Os líderes da Igreja, pais e educadores devem entender a influência positiva da educação cristã na formação espiritual e trabalhar juntos para assegurar que essas opções de educação estejam genuinamente disponíveis para o maior número possível de famílias”.

Em pesquisa divulgada em janeiro de 2018, Cardus descobriu que a Geração X e adultos de idade milenar que frequentavam escolas protestantes evangélicas tinham maior probabilidade de ler a Bíblia, frequentar a adoração e orar do que seus colegas que frequentavam escolas públicas.

O relatório de 2018 se baseou nas Pesquisas de Educação Cardus de 2011 e 2014 para os Estados Unidos e na CES para o Canadá feitas em 2012 e 2016.

“Nossas descobertas mostram fortes efeitos da escolaridade do EP sobre vários resultados religiosos e espirituais na idade adulta jovem, e esses efeitos se mantêm após o controle de variáveis ​​familiares e demográficas, incluindo a religião dos pais”, observou o estudo do ano passado.