Da redação JM

As autoridades chinesas prenderam recentemente mais de 50 cristãos – incluindo 11 crianças – por “incitarem a subversão do poder do Estado”, relatou um integrante da guarda de perseguição.

De acordo com uma atualização da Early Child Covenant Church, de Chengdu, que foi fechada pelo governo comunista em dezembro, várias casas que hospedavam reuniões de oração em 24 de fevereiro foram cercadas por policiais que interromperam os cultos. Em dois dos cultos em casa, todas as pessoas presentes foram detidas.

“Todos, incluindo crianças cristãs, idosos e mulheres grávidas, foram levados pela polícia e seus telefones foram apreendidos”.

De acordo com um comunicado divulgado pela igreja, dois cristãos que foram presos foram “espancados violentamente”.

“Tang Chunliang e sua esposa foram atingidos no rosto por um policial à paisana na delegacia de polícia”, diz a atualização. “Alguns, incluindo crianças, não comiam nada. Alguns não foram libertados até às 2:00 da manhã. Crianças cansadas dormiam em mesas e pisos gelados. Outros não foram libertados até às 6:00 da manhã.”

Pouco tempo depois, mais dois fiéis foram presos quando foram à delegacia de Chengdu visitar seus amigos detidos.

“Eles foram levados para a Delegacia de Polícia da Rua Taisheng, onde foram trancados e interrogados”, diz uma declaração de 2 de março da igreja. “Às 2:00 da tarde, enquanto estavam sendo interrogados, eles foram pessoalmente humilhados, abusados ​​e violentamente espancados por sete a oito policiais da Delegacia de Polícia de Chengdu Taisheng. Eles foram detidos por quase oito horas.”

O fundador da Aid Bob Bob, um respeitado ativista de direitos humanos, twittou que pelo menos 11 dos que foram presos em Chengdu receberam uma punição de 10 a 14 dias de “detenção administrativa”.

“A prisão arbitrária continua”, escreveu Fu, exortando os cristãos de todo o mundo a “andar com … esses perseguidos”.

Em dezembro, o pastor da igreja Wang Yi foi preso junto com mais de 160 membros da igreja. Três meses depois, Wang e sua esposa permanecem sob custódia, e os pais e o filho do pastor estão sob vigilância desde a prisão.

Desde o fechamento da igreja no final do ano passado, as autoridades continuaram a perseguir os membros da igreja Early Rain, de acordo com as atualizações da igreja. A polícia supostamente pressionou os latifundiários e os empregadores, fazendo com que alguns frequentadores da igreja perdessem suas casas e empregos. Alguns tiveram que voltar para suas cidades natais.

Pelo menos uma família de um presbítero da igreja foi forçada a se mudar em várias ocasiões, pois foram consideradas “residentes ilegais”.

“Cada vez que eles são despejados, eles encontram um novo lugar para viver”, diz um comunicado da Igreja publicado em 22 de fevereiro. “Então, depois de passarem alguns dias se adaptando à nova casa, a polícia e a segurança nacional vêm à sua porta e, através de vários métodos, expulsam a família de sua casa novamente.”

A China classifica-se como o 27º pior país do mundo no que diz respeito à perseguição de cristãos, de acordo com a World Watch List de 2019 da Open Doors USA.

Com informações Gospel Herald

VEJA TAMBÉM
Eles esperaram 10 anos para ter um exemplar da Bíblia