Da redação

Morreu na tarde desta segunda (1º), o pastor inglês Henry Bacon. Ele morava atualmente em Guarapari, sul do Espírito Santo e participou da 2ª Guerra Mundial. Henry estava com 98 anos e faleceu devido a problemas nos rins. O corpo está sendo velado na Igreja Batista em Meaípe.

Henry estava no Brasil desde 1949. Ele ficou conhecido pela imprensa, ao contar a sua história de participação na Segunda Guerra. Na época, prestava serviços a igreja e entrou na guerra como “Objetor de Consciência”, que é a pessoa que é chamada para a guerra, mas por preceitos religiosos, é dispensada de serviços que envolvam combate.

“Eu não entrei na guerra como objetor para salvar a minha vida, mas para não tirar a vida dos outros”, disse ele em entrevista ao portal Gazeta online em 2017.

Henry morava em Meaípe com esposa e cinco filhas. Ele disse que lutou na guerra porque “O massacre de judeus só me fazia ver que eu precisava resistir lá, de alguma forma, até a morte. Foram atrocidades”, disse.

VEJA TAMBÉM
Muitos pastores não conseguem controlar suas "línguas digitais", alerta pesquisador
Foto: Facebook

Henry foi para a guerra com a missão de desarmar bombas que não explodiam.

“Algumas vezes sendo perseguidos, os aviões voaram muito baixo e a altitude reduzida fazia com que essas bombas não explodissem. Nosso trabalho era encontra-las e desarmá-las”.

O pastor chegou a escrever um livro em 1983: “A Epopéia Brasileira – Uma introdução a Os Sertões “.

Trata-se de uma obra que analisa o pensamento, a linguagem, a arquitetônica, a territorialidade, e a relevância de “Os sertões”, de Euclides da Cunha.

“Quando eu cheguei ao Brasil, estava recém graduado em Letras, e quis embarcar na literatura daqui, saber o que os brasileiros estavam produzindo. Por isso fui incentivado a escrever o livro”, disse.

(Com Comunhão)

COMPARTILHAR