Da redação JM

Pastor Anísio e a esposa, Jurema. Ao longo da vida, o casal se dedicou ao trabalho com a comunicação. (Foto: Acervo da família)

Faleceu às 6h30 desta quinta-feira, 4, na cidade catarinense de Indaial, um dos principais entusiastas da comunicação da Igreja Adventista do Sétimo Dia e pioneiro na atividade de relações públicas da organização adventista. O pastor Anísio Rocha Chagas morreu aos 90 anos de idade (completaria 91 anos no próximo dia 17 de abril). No ano passado, Chagas sofreu uma queda e, desde então, passou por várias hospitalizações. Há duas semanas, seguia internado em decorrência de uma pneumonia. Já aposentado há vários anos, deixou a esposa, Jurema, três filhos (Jason, Silvano e Susana) e cinco netos. O velório e o sepultamento deverão ocorrer no próximo sábado.

A atividade de relações públicas fez parte de uma parcela significativa do ministério do pastor Anísio Chagas. Nascido em Santa Maria do Salto, em Minas Gerais, divisa com a Bahia, era o terceiro de um grupo de dez irmãos. Foi alfabetizado apenas a partir dos 12 anos, mas isso não o impediu de ser autor de dezenas de artigos em revistas e jornais.

Segundo informações que ele mesmo registrou no livro Minha vida de pastor, publicado por Tércio Sarli, Chagas trabalhou como ministro da Igreja Adventista do Sétimo Dia em Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Brasília e Santa Catarina. Atuou por alguns anos na Voz da Profecia, no Rio de Janeiro, onde, inclusive, se aposentou.

VEJA TAMBÉM
Teólogo adventista se "assusta" com assembleianos durante evento

Em entrevista concedida à Agência Adventista Sul-Americana de Notícia (não publicada), afirmou que “sonhava ser um pastor realizando um trabalho de jornalista. No curso teológico, havia uma cadeira de noções de jornalismo que cursei com entusiasmo. Era apenas um ano. Desde o início, quando entrei na obra adventista em Recife, procurei contato com as autoridades e veículos de comunicação. Sem dúvida, era uma vocação inspirada por Deus, penso eu”.

Ele ainda colaborou com a Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA) e outros ministérios. Após se aposentar, foi um entusiasta da criação e consolidação dos grupos de terceira idade dentro da Igreja Adventista do Sétimo Dia.

Comunicação eficiente

Durante muitos anos, Anísio Chagas foi relações públicas no Rio de Janeiro, Minas Gerais e Santa Catarina. Por meio desta atividade, facilitou o contato da denominação com dezenas de autoridades. Seu trabalho foi eficiente para abrir portas para uma organização pouca conhecida, na época, nos diferentes meios de comunicação. Foi, inclusive, membro da Associação Brasileira de Relações Públicas.

VEJA TAMBÉM
Jovem quase desistiu de viver, mas se decidiu por Cristo: 'antes eu não via solução'

No início de seu ministério pastoral, manteve um programa na Rádio Copacabana. No Rio Grande do Sul, foi colaborador assíduo com artigos para o jornal Zero Hora, em que expunha os princípios e valores defendidos pela Igreja Adventista. Neste Estado, manteve no ar um programa de TV chamado Encontro com a Vida, exibido pela principal emissora, a RBS TV. Mais tarde, o programa passou a se chamar Está Escrito.

Em Santa Catarina, apresentou o programa Gotas de Fé, na afiliada local da TV Band, além de escrever vários artigos para jornais e revistas locais. Ali integrou a Associação Catarinense de Imprensa, embora formalmente nunca tenha obtido graduação em Jornalismo.

O pastor e jornalista Michelson Borges, editor da Revista Vida e Saúde, lembra com carinho do amigo. “Quando o pastor Anísio me via, ele sempre me chamava à sua sala para conversar e orar comigo. Comunicador nato, escritor e apresentador de TV, ele vibrava quando o assunto era jornalismo e comunicação. Lembro-me bem dos bons conselhos que ele me dava. Ele sempre se preocupava com as pessoas”, sublinha.

Veja um trecho do programa Gotas de Fé, exibido em 2012:

(Com Notícias Adventistas)