“Projeto prevê mudanças para a suspensão da carteira por acúmulo de infrações no trânsito. Foto: Albari Rosa/ Gazeta do Povo

O governo oficializou a decisão em mudar o prazo de validade da carteira do motorista, atualmente em cinco anos, e também de aumentar a quantidade de pontos para que o motorista perca a habilitação por excesso de infrações.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, afirmou nesta segunda-feira (8) à noite que a pasta enviará até a próxima sexta-feira ao Palácio do Planalto uma proposta de projeto de lei que propõe as alterações citadas acima.

O ministro não deu mais detalhes, porém adiantou que a medida também acelerará o processo de suspensão em casos de infrações mais graves, como dirigir sob o efeito de álcool.

Segundo Tarcísio Freitas, as questões que envolvem a renovação da CNH e a perda maior de pontos necessitavam de um estudo mais elaborado e pesquisas de dados internacionais para formar uma convicção técnica que viabilizasse as mudanças.

“Vamos enviar a proposta do projeto de lei esta semana para o Palácio do Planalto e de lá encaminhar para o Congresso”, disse o ministro.

Pela legislação atual o condutor pode ter a carteira suspensa se acumular 20 pontos ou mais ao longo de 12 meses, conforme peso as infrações cometidas no trânsito.

VEJA TAMBÉM
Serviço de emissão de CNHs continua suspenso no TO; empresa cobra R$ 4 milhões do Estado

De acordo com o governo, o projeto tornará o processo mais ágil, principalmente na suspensão da CNH em casos de infrações muito graves, como dirigir sob o efeito de álcool.

Renovação da carteira

Em fevereiro deste ano, o presidente Jair Bolsonaro havia dito numa rede social que o Ministério de Infraestrutura anunciaria em breve a ampliação da validade da CNH.

E justificou afirmando que a mudança integrava um pacote de medidas que visava a desburocratização do trânsito e a diminuição dos custos nos processos.

À época, Tarcísio Freitas argumentou que a renovação do documento a cada cinco anos não trouxe melhorias nos índices de violência no trânsito e sinalizou que a validade pode ser até mesmo superior aos 10 anos. Resta saber se o novo prazo será mesmo de uma década.

“Já houve época em que você tirava a carteira de motorista com 20 anos e só renovava com 40. E isso é bastante razoável, porque é quando você começa a perder um pouco da acuidade visual, a vista começa a falhar, e é necessário renovar os exames de vista.”

VEJA TAMBÉM
CNH: governo propõe validade de 10 anos

O responsável pela pasta da Infraestrutura disse ainda que há outros procedimentos, sem citar quais, que precisam ser alterados, relacionados a resoluções do Contran (Conselho Nacional de Trânsito).

“Estamos com uma Medida Provisória que está para ser editada que muda as resoluções do Contran. E assim que alterarmos viremos com as primeiras medidas neste sentido”, salientou Tarcísio Freitas.

Entre os assuntos, possivelmente, relacionados estão o fim da obrigatoriedade do uso de simuladores como condição para se requisitar a carteira de motorista e a continuidade ou não da placa padrão Mercosul no país.

(Com Gazeta do Povo)