‘Mandaram ficar à vontade para me estuprar’, diz Felipe Heiderich

"Me espancaram. O carcereiro me jogou nu em uma cela", contou Felipe Heiderich

Da redação

“Me espancaram. O carcereiro me jogou nu em uma cela”, contou Felipe Heiderich

O pastor Felipe Heiderich falou pela primeira vez sobre a acusação de abuso sexual feita pela ex-mulher, a cantora gospel Bianca Toledo.

Em entrevista ao programa ‘Fofocalizando’, Felipe, que passou três anos na prisão e foi absolvido no dia 3 de abril em decisão da Justiça do Rio de Janeiro, detalhou os momentos vivido na detenção.

Eles me espancaram e queriam que eu falasse o número do código penal pelo qual eu estava ali. Eu não sabia e, por isso, me espancaram. O carcereiro me jogou numa cela, nu, e falou: ‘Fiquem à vontade. Quem estuprar ele não apanha hoje’. Mas eles [os presos] não fizeram nada comigo, e me deram chinelo, jogaram uma bermuda – relatou.

Segundo a denúncia de Bianca, sua ex-mulher do pastor, ele seria homossexual e teria abusado do enteado durante o banho. Fora da cadeia, Felipe afirma que chegou a correr risco de morte por causa das acusações feitas por Bianca. “Sofro muitas ameaças todos os dias”, contou.

Heiderich diz ainda que foi expulso de alguns grupos após a prisão. “Não existe nada mais. Eu perdi tudo. Um grupo de pastores pediu que eu nunca mais pisasse na igreja”.

VEJA TAMBÉM
Em novo vídeo, Bianca Toledo faz esclarecimento final sobre o fim do casamento: “piores dias da minha vida”

Saiba mais

Bianca Toledo comenta absolvição de Felipe Heiderich: “Justiça falha”

+  Internautas pedem prisão de Bianca Toledo após absolvição de Felipe Heiderich

Justiça absolve Felipe Heiderich de todas as acusações

Assista (Minuto 6 do vídeo):

CLIQUE AQUI