Da redação

“Me espancaram. O carcereiro me jogou nu em uma cela”, contou Felipe Heiderich

O pastor Felipe Heiderich falou pela primeira vez sobre a acusação de abuso sexual feita pela ex-mulher, a cantora gospel Bianca Toledo.

Em entrevista ao programa ‘Fofocalizando’, Felipe, que passou três anos na prisão e foi absolvido no dia 3 de abril em decisão da Justiça do Rio de Janeiro, detalhou os momentos vivido na detenção.

Eles me espancaram e queriam que eu falasse o número do código penal pelo qual eu estava ali. Eu não sabia e, por isso, me espancaram. O carcereiro me jogou numa cela, nu, e falou: ‘Fiquem à vontade. Quem estuprar ele não apanha hoje’. Mas eles [os presos] não fizeram nada comigo, e me deram chinelo, jogaram uma bermuda – relatou.

Segundo a denúncia de Bianca, sua ex-mulher do pastor, ele seria homossexual e teria abusado do enteado durante o banho. Fora da cadeia, Felipe afirma que chegou a correr risco de morte por causa das acusações feitas por Bianca. “Sofro muitas ameaças todos os dias”, contou.

Heiderich diz ainda que foi expulso de alguns grupos após a prisão. “Não existe nada mais. Eu perdi tudo. Um grupo de pastores pediu que eu nunca mais pisasse na igreja”.

VEJA TAMBÉM
Pastor Felipe Heiderich volta aos púlpitos para pregar após ser inocentado

Saiba mais

Bianca Toledo comenta absolvição de Felipe Heiderich: “Justiça falha”

+  Internautas pedem prisão de Bianca Toledo após absolvição de Felipe Heiderich

Justiça absolve Felipe Heiderich de todas as acusações

Assista (Minuto 6 do vídeo):

CLIQUE AQUI