Da redação

“Dentro da doutrina cristã, nós entendemos que no casamento entre homem e mulher, o homem é o líder do casamento”, disse

A fala de Damares veio após um questionamento da deputada federal Alice Portugal (PCdoB), que destacou a “cultural milenar do preconceito” e perguntou se a ministra defende que a mulher seja submissa no casamento.

“Estou dizendo que todas as mulheres devem abaixar a cabeça para o patrão, para o agressor? Não. Mas dentro da minha concepção cristã, a mulher no casamento é submissa ao homem e essa é uma questão de fé”, destacou Damares.

“Isso não me faz menos capaz de dirigir este ministério. Isso não me faz mais incompetente. É uma questão de fé dentro do meu segmento”, completou a ministra.

No início da sessão, Damares mostrou uma apresentação com todos os detalhes da atuação do ministério em relação às políticas para mulheres. “Está todo mundo perguntando que ministério é esse, eu começo a dizer em todos os lugares que é o mais extraordinário, espetacular e lindo ministério do governo Bolsonaro”, comentou.

Entre os objetivos da pasta elencados por Damares estão algumas mudanças no canal de denúncias 180, como incluir redes sociais e aplicativos de mensagem de texto nessa comunicação. “Programas de governos anteriores que estão dando certo vão continuar”, ela afirmou.

VEJA TAMBÉM
'Crime organizado vende estupro de bebês no Brasil', diz ministra Damares Alves

Questionada por alguns parlamentares sobre políticas públicas relacionadas ao aborto, a ministra reiterou sua posição contrária, mas disse que isso “não vai nortear” o ministério.

“Não vou fazer essa discussão, é uma discussão do parlamento”, disse Damares. “A política pública com relação ao aborto é desenvolvida pelo ministério da Saúde, então deixa o ministro Mandetta lá cuidando disso, eu vou cuidar de mulheres, vou lutar para que a gente salve mulheres”.

Assista: