Priscilla Alcântara diz que não é gospel: “minha arte vai muito mais além”

"O que seria isso? Uma pessoa que só canta o quê? Não tenho preconceito com o termo, é mercadológico, mas a minha arte vai muito mais além”, explicou

Da redação JM

A cantora e ex-apresentadora mirim Priscilla Alcântara tem feito enorme sucesso com seu último trabalho, o álbum ‘Gente’. Aos 22 anos de idade, ela concedeu uma reveladora entrevista, onde conversou sobre diversos assuntos.

Ela contou, por exemplo, que prefere rejeitar o título de “cantora gospel”. “Eu não me considero uma cantora gospel. O que seria isso? Uma pessoa que só canta o quê? Não tenho preconceito com o termo, é mercadológico, mas a minha arte vai muito mais além”, explicou.

Apesar de falar sobre Deus e o universo do cristianismo, Priscilla se considera uma cantora pop. Ela foi, inclusive, bastante criticada por parte de seus fãs evangélicos quando ela lançou ‘Gente’ – eles sentiram falta de Deus em suas letras.

“Sei onde quero chegar com minha música. Eu quis ampliar minha comunicação e falar não só com cristãos. Tem algo que se chama graça comum, que está sobre o cristão e o não cristão. Somos ligados pela nossa humanidade”, comentou.

Durante a entrevista, ela fez o possível para evitar falar de assuntos polêmicos. Sobre igrejas evangélicas e fanáticos religiosos brasileiros, por exemplo, ela falou pouco – mas deixou sua crítica.

VEJA TAMBÉM
Pedro Bial entrevista cantores e youtubers cristãos

“Jesus tem, sim, sido bem representado, mas tem uma parte do fã-clube que dá umas mancadas. Não tem como generalizar, eu gosto de focar naquilo é bom. Em tudo aquilo que você procurar, vai ter defeito, uma parte ruim, uma parte um pouquinho mais estragada. Assim como outras coisas, a igreja no Brasil tem seus defeitos, mas também existem pessoas que têm representado Cristo de uma maneira excelente”, afirmou ela.