Da redação JM

O PT realizou, em SP, nos dias 5 e 6 de abril, o 1º Encontro de Evangélicos. Gleisi Hoffmann, Benedita da Silva e João Pedro Stédile falaram no ato. O partido tenta refazer pontes com parte do eleitorado evangélico do país, que em sua maioria apoia o presidente Jair Bolsonaro.

Agora, o partido planeja usar o segmento para fortalecer sua imagem desgastada junto ao povo. Já com grande apoio dentro do catolicismo no país, o partido do ex-presidente Lula, preso após condenação em segunda instância, aposta na ala progressista existente no evangelicalismo do Brasil.

Vídeo: “Jesus sempre foi a nossa referência”, diz Gleisi Hoffmann a ‘evangélicos petistas’

Gleisi falou dessa necessidade de aumentar as candidaturas de pessoas evangélicas no PT, “para que possam lutar por suas bandeiras, assim como temos espaço para as mulheres lutarem pelas delas, os negros lutarem pelas deles e todos os outros”.

O evento foi organizado pela Fundação Perseu Abramo, um dos braços do partido.

Astutos

VEJA TAMBÉM
Ciro Gomes diz que esquerda precisa ir contra "força neopentecostal"

A deputada Benedita disse no encontro que “todo revolucionário deve ler a bíblia” e explicou que desde seu início como integrante do PT, existe a disposição para que o partido “sempre tenha uma espiritualidade avançada”.

“O evangelho é revolucionário, muda a vida das pessoas, estimula, dá dignidade, levanta sua autoestima e é esse evangelho que temos que levar a todos os lugares, porque senão seremos confundidos com aqueles que deram o Brasil para aquele lá que está no governo”, declarou Benedita.

A deputada finaliza afirmando que “Lula foi para a comunidade evangélica o melhor presidente” e por isso existe a necessidade de lutar sempre pela liberdade do ex-presidente, e essa é uma das bandeiras do núcleo de evangélicos e evangélicas do PT.

Assista: