Redação JM Notícia

Eli Borges e o advogado Paulo Iotti

Durante a sessão da Comissão de Direitos Humanos (CDH) da Câmara dos Deputados desta terça-feira (14), o deputado federal Eli Borges (SD-TO) criticou a tentativa de criminalizar a discordância da homossexualidade com crime de ódio.

Os deputados discutiam um projeto da deputada Maria do Rosário (PT-RS) que pretende criminalizar a homofobia. O advogado militante pelos direitos LGBTI Paulo Iotti discutiu com Eli Borges que precisou defender sua fé.

“Eu não aceito qualquer pessoa nas ruas discriminando ou jogando pedras em pessoas homoafetivas. Agora, não vou defender uma legislação onde pregar a prática da Bíblia seja vista como discurso de ódio”, declarou Eli Borges.

O advogado declarou que ninguém quer prender pastor, mas criticou líderes cristãos que “fundamentalistas que querem impor a sua fé religiosa a todos e todas”. Mas para Eli Borges, no Brasil há mais cristofobia, do que homofobia.

Há uma possibilidade de parlamentares evangélicos e de partidos de esquerda se unirem e redigirem um projeto de lei que criminaliza a homofobia, mas proteja a liberdade de expressão e religiosa.

Erro › WordPress

O site está passando por dificuldades técnicas.