Por Ricardo Costa

Imagem meramente ilustrativa

Na tarde desta terça-feira (21), na região do Bico do Papagaio no Tocantins, um pastor, presidente de um certo ministério, revelou ao JM Notícia que em sua cidade algo inusitado aconteceu: um ministério assembleiano fez um campanha de 30 dias de jejum e oração para que ele fechasse a sua igreja e fosse embora da cidade.


O pastor teria tido aos fieis que após a campanha ele mudaria de nome se eles (ministério concorrente) não fossem embora. Detalhe: a igreja, que é recém implantada na cidade, continua a todo vapor e o pastor afirmou que a obra de Deus não pode parar e que continuará evangelizando.


“Fomos enviado pela nossa Convenção para aquele lugar, compramos um lote e começamos a construir. Como já existe uma igreja bastante sólida na cidade, eles não aceitaram a nossa presença e fizeram campanha, mas continuamos firmes no propósito de fazermos o IDE de Jesus”, contou-me o pastor acompanhado de sua esposa.

“Nunca algo desse tipo. Uma igreja levantar campanha de oração para que outra igreja seja fechada”, lamentou o pastor.