Da redação

Um tribunal no Paquistão condenou à morte três muçulmanos por terem queimado vivo um casal cristão que foi acusado de blasfêmia na cidade de Kot Radha Kishan, a 60 quilômetros ao sudeste de Lahore em 2014.

Dois outros muçulmanos foram absolvidos.

Segundo informa Associated Press (AP), a decisão judicial do dia 16 de maio, ocorreu cinco anos depois que Shama Bibi, de 24 anos, e Sajjad Maseeh, de 27 anos, foram espancados até a morte e jogados em um forno de fábrica de tijolos por uma multidão de cerca de 100 muçulmanos da província de Punjab.

+ Paquistão ainda mantém 218 cristãos presos por “blasfêmia”, diz agência

Também quebraram as pernas do casal para que não fugissem e a mulher foi enrolada em algodão para queimar mais rápido, segundo indicaram as testemunhas. Após o assassinato, apenas os ossos carbonizados e os restos de seus sapatos permaneceram.

O casal tinha dois filhos e duas filhas, o mais velho com sete anos de idade. Na época do assassinato, Shama Bibib estava grávida de quatro meses.

VEJA TAMBÉM
Turquia expulsa embaixador de Israel; Israel responde pedindo para embaixador turco deixar o país

Após o incidente, a polícia prendeu dezenas de pessoas e cinco delas foram condenadas à morte em 2016.

(Com ACI)