Da redação

onu

A Assembléia Geral da ONU designou 22 de agosto como o Dia Internacional em Comemoração das Vítimas de Atos de Violência Baseada na Religião ou Crença.

A resolução foi co-patrocinada pela Polônia, Brasil, Canadá, Egito, Iraque, Jordânia, Nigéria, Paquistão e Estados Unidos, e adotada por consenso pelos 193 membros da entidade na terça-feira.

Ele lamenta “ todos os atos de violência contra as pessoas com base na sua religião ou crença , bem como quaisquer atos dirigidos contra as suas residências, empresas, propriedades, escolas, centros culturais ou locais de culto, bem como todos os ataques em e em lugares religiosos, locais e santuários que violam o direito internacional ”.

+ Bolsonaro diz que votos do Brasil na ONU têm como princípio a Palavra de Deus

“O terrorismo e o extremismo violento em todas as suas formas e manifestações não podem e não devem estar associados a nenhuma religião, nacionalidade, civilização ou grupo étnico ”, acrescenta a resolução.

“COMBATE CRIMES DE ÓDIO E VIOLÊNCIA RELACIONADA À RELIGIÃO E À CRENÇA”

VEJA TAMBÉM
Mais de 287 mil evangélicos são forçados a deixar suas casas por causa da fé

O documento enfatiza que “a liberdade de religião ou crença, liberdade de opinião e expressão, o direito à reunião pacífica e o direito à liberdade de associação são interdependentes, inter-relacionados e se reforçam mutuamente, e enfatizam o papel que esses direitos podem desempenhar na luta contra a religião. todas as formas de intolerância e discriminação baseadas na religião ou crença ”.

O Dia Internacional terá como objetivo “homenagear as vítimas e os sobreviventes que muitas vezes permanecem esquecidos” , disse o ministro das Relações Exteriores da Polônia, Jacek Czaputowicz.

(Com EF)