Da redação

O parlamentar ressaltou a necessidade de priorizar a valorização dos professores e lhes conferir o que foi estabelecido por direito

Em resposta à demanda recebida pelo vereador Professor Deley (PSC), de Paraíso do Tocantins, o deputado Professor Júnior Geo (PROS), solicitou na última semana, por meio de requerimento, que fosse encaminhado à Secretaria de Educação do Estado do Tocantins, o pagamento retroativo das progressões de 2014.

Geo solicitou também a incorporação das progressões de 2015 que foram publicadas em agosto de 2016, as incorporações das progressões de 2016 que foram publicadas em julho de 2018, e que continuam pendentes até a presente data, a incorporação das progressões de 2017 e 2018, sendo que essas não foram sequer publicadas ainda e o pagamento retroativo da data base de 2016, 2017, 2018.

+ Professor Júnior Geo media debate em Encontro Nacional de Comissões de Educação

+ Prof. Júnior Geo apresenta PL que propõe maior transparência sobre obras públicas

“Não estou pedindo nada mais, apenas os direitos trabalhistas que estão em lei, que se encontram no plano de carreira e que, infelizmente, até a presente data não foram pagos. Nos referimos a datas aqui de 2014 ainda, não são 30 meses, não são apenas 18 meses, são cinco anos em atraso. Espero que a Secretaria de Educação, assim como o Governo do Estado, que é claro, quem vai definir sobre o pagamento ou não, que possam se sensibilizar diante da situação e que façam o que é direito, o que é correto para com os educadores, os trabalhadores da educação, afirmou Geo.

VEJA TAMBÉM
Júnior Geo avalia seis primeiros meses de seu segundo mandato

O parlamentar ressaltou a necessidade de priorizar a valorização dos professores e lhes conferir o que foi estabelecido por direito. Para ele, são os professores que formam a sociedade tocantinense, que desempenham um trabalho com qualidade, promovem uma formação crítica, promovem o desenvolvimento intelectual para que se tenha uma sociedade mais justa, mais equilibrada, melhor e ainda indagou: “qual a dificuldade em se dar a César o que pertence a César?”.